Erigindo um Altar para Krishna no Templo do Materialismo

18 I (artigo - pregação) Erigindo um Altar para Krishna no Templo do Materialismo (1720)1

Nrisimhananda Dasa Brahmachari

Tendo recebido de seu mestre espiritual a difícil tarefa de disseminar o cantar dos santos nomes de Deus em cada lugarejo deste planeta, Srila Prabhupada sabia que precisaria de ajuda para cumprir seu intento. E, ao desembarcar no Ocidente, ele tentou buscar esse auxílio naqueles que obviamente teriam mais facilidade em lhe fornecer os melhores recursos para sua empreitada: a elite intelectual dos Estados Unidos. Porém, uma vez que essa classe de homens não se rendeu e a Providência acabou levando-o aos ermos dos guetos boêmios, Srila Prabhupada construiu seu movimento de revolução espiritual utilizando o único material disponível: a juventude hippie, como todos sabemos. Mas um fato é que ele nunca desistiu de seu plano inicial de ocupar os melhores cérebros possíveis no seu ambicioso plano de levar a consciência de Krishna para todos os lares, sempre exortando seus discípulos a levarem a mensagem do Bhagavad-gita para a universidade, ao que se referiu como sendo “o melhor lugar para levar nosso Movimento da Consciência de Krishna”.

Certa feita, um de seus jovens alunos, chamado Gargamuni Swami, guiado pela intenção de transmitir o discurso de seu guru, saiu do seu habitual campo de pregação em Miami e se dirigiu para a pequena cidade de Gainesville, sede do Condado de Alachua e casa da Universidade da Flórida, onde muitos rapazes e moças, frustrados com o materialismo que permeava a sociedade que estavam herdando de seus pais, e ansiosos por uma experiência que justificasse sua existência, o aguardavam.

Como tudo o que conheciam eram seus corpos e suas tenras e intensas emoções, acreditavam firmemente que poderiam mudar o mundo ao expandir o campo de atividades do seu ego, lutando por melhorias nas condições corpóreas de todos os cidadãos da Terra. Assim, se reuniam para elaborar sistematicamente seu pensamento progressista e fazer protestos contra a participação americana na Guerra do Vietnã e alertar a sociedade sobre sua loucura iminente, que se manifestava em casos como o recente tiroteio em Kent State.

Gargamuni chegou a Gainesville no começo de 1971, e seu programa consistia em passar o dia na ‘Plaza of the Americas’, o maior centro de atividades estudantis, onde cantava, palestrava, conversava com os transeuntes e distribuía um pouco de prasada. De noite, ele dormia onde quer que lhe oferecessem abrigo e, em troca, preparava um jantar vegetariano para seu anfitrião.

Com o tempo, ele começou a atrair jovens sinceros, como o casal de namorados David Lieberman, um dos líderes locais do movimento antiguerra e influente membro de uma fraternidade universitária, e Adrienne. Outro que se aproximou foi Paul, que estava estudando uma edição impersonalista do Bhagavad-gita e que desafiou Gargamuni em um debate filosófico, sendo totalmente derrotado, e se rendeu à superioridade da teologia vaishnava.

Sensibilizados com o esforço de Gargamuni, David e Adrienne o convidaram para morar em seu pequeno duplex situado a poucos quarteirões do campus. Ao chegar lá, ele logo redecorou o ambiente, inclusive montando um simples altar para Sri Sri Pancha-Tattva. O próximo passo foi começar a convidar a comunidade local para os dois programas diários que realizaria na pequena casa, que se transformou em um templo e logo ficou conhecida como “Krishna House”.

Gargamuni incrementou sua pregação ao instituir aulas regulares do Gita no Centro Estudantil Católico e a distribuição de três refeições diárias na Krishna House.

Mas no auge do seu empenho, ele recebeu uma carta de Srila Prabhupada o convocando para que fosse para Bangladesh para expandir o Movimento da Consciência de Krishna lá.

Gargamuni Swami fez os preparativos para ir embora, pondo David como líder da nova iniciativa da ISKCON em seu lugar e levando Paul (que depois foi iniciado como Pushta Krishna Dasa) consigo.

Mas diferentes reveses atingiram David: ele e Adrienne se casaram e alugaram outra casa, mais distante do campus do que a antiga Krishna House, dificultando assim o acesso de muitos alunos e diminuindo drasticamente a frequência nos programas. E para ajudar na manutenção do templo, começou a viajar para vender incensos, o que fez com que sua esposa se sentisse solitária e fosse embora para a casa de seus pais em Miami.

Totalmente desamparado, a única alternativa que restou a David foi contatar o membro do GBC responsável pela sua região: Satsvarupa Dasa. Como consequência ao seu pedido de ajuda, prabhu Satsvarupa enviou um casal de jovens devotos para liderar a pregação em Gainesville: Hridayananda Dasa e Ananga Manjari Devi Dasi.

O seu profundo conhecimento dos livros de Srila Prabhupada, seu comportamento educado e sua facilidade de lidar com o meio acadêmico devido ao período em que estudara na Universidade da Flórida fizeram de prabhu Hridayananda a escolha ideal para esse serviço.

Ao chegar, em maio de 1971, eles foram recebidos por David, Adrienne (que retornou depois que soube que teriam reforço) e mais dois jovens bhaktas que haviam se mudado para a Krishna House: Bill e Richard.

Após entender o contexto em que teriam que trabalhar, prabhu Hridayananda e mataji Ananga Manjari começaram a fazer uma série de mudanças no programa: uma reforma geral na sala do templo, mais aulas (Hridayananda estabeleceu estudos matinais de cada um dos livros de Srila Prabhupada) e harinamas diários no centro da cidade. E, no final de semana, viajavam para cidades como Orlando e Jacksonville e pregavam lá. Dessa forma, atraíram muitos novos membros, como o bhakta Gary.

Como culminação dos esforços de prabhu Hridayananda, dois eventos maravilhosos se seguiram:

Primeiro, o próprio Srila Prabhupada enviou no dia 29 de junho uma carta para os devotos de Gainesville, onde escrevia: “Eu estou muito feliz de saber que prabhu Hridayananda foi para Gainesville e que vocês têm um bom local também. Agora, meu desejo foi realizado. Eu desejei por muito tempo um centro na Florida. Dois anos atrás, tentei abrir um centro aí com a ajuda de um cavalheiro local, mas não houve muito sucesso… Então, façam algo maravilhoso aí em Gainesville. ‘Maravilhoso’ significa que vocês simplesmente cantam alto e distribuem prasada. Isto não é muito difícil. Isto é muito fácil. Se vocês simplesmente fizerem isto com entusiasmo e sinceridade, o sucesso virá”.

O segundo evento foi que o secretário de Srila Prabhupada informou aos devotos que havia uma lacuna na agenda de Srila Prabhupada, de forma que o templo que pudesse pagar as despesas de sua viagem e mais mil dólares adicionais e organizar bons programas de pregação teria a honra de sua visita no final de julho.

Ao saber disto, os devotos de Gainesville se animaram com a ideia de poder ter a presença de seu mestre espiritual, o devoto puro que conseguiu disseminar a filosofia do Senhor Chaitanya por todo o mundo, em seu humilde programa.

Como David tinha certa influência entre os estudantes da Universidade da Flórida, fez contatos de forma a conseguir uma audiência com a Assembléia Estudantil, onde expôs francamente a importância histórica de Srila Prabhupada e a relevância do conhecimento védico. Após certa burocracia, o comitê concordou em doar para a Krishna House a soma de que precisavam para levar Srila Prabhupada para Gainesville.

Extasiado com a oportunidade única, prabhu Hridayananda liderou os jovens devotos para que conseguissem terminar todos os preparativos necessários nas duas semanas que ainda lhes restavam. Ele preparou panfletos e pessoalmente os distribuiu, conseguiu convencer Joe, Bruce e Allen (três bhaktas que haviam abandonado a Krishna House por se sentirem desestimulados com suas dificuldades no processo da consciência de Krishna) a voltarem, inspirou Adrienne a pintar um novo quadro do Pancha-Tattva para o altar, convocou devotos dos templos de Miami, Tallahassee e New Orleans para ajudarem etc.

Finalmente, no dia 29 de julho, Srila Prabhupada chegou à Florida para a imensa satisfação de prabhu Hridayananda e de seus amigos. Ao chegar, ele declarou: “Nós vimos vocês cantando o maha-mantra. O Senhor Chaitanya Mahaprabhu predisse que, em toda vila, cidade e país na face do globo, este Movimento de Sankirtana seria disseminado. Então, nós estamos muito gratos a vocês porque neste local remoto, que está a milhares de milhas do local de nascimento do Senhor Chaitanya, Navadvipa; vocês estão cumprindo, satisfazendo Seu desejo, cantando o mantra Hare Krishna”.

Apesar de ter ficado apenas um dia, sua programação foi muito intensa: ele deu uma aula no templo, uma palestra pública do primeiro verso do sétimo capítulo da Bhagavad-gita no “Plaza of the Americas” para uma plateia de quinhentas pessoas, concedeu uma entrevista para a estação de tevê do campus, onde explicou como o desenvolvimento de nossa relação latente com Krishna melhorará automaticamente todos os demais tipos de relacionamentos que temos, e, por fim, iniciou alguns dos membros da Krishna House: Gary (Dharma Dasa), Joseph (Bhagavata Dasa), Sam (Suvrata Dasa) e os pioneiros David (Amarendra Dasa) e Adrienne (Gayatri Devi Dasi). Assim se encerrou sua breve estadia na Florida.

Enquanto Srila Prabhupada esperava o horário do seu voo, os devotos aproveitaram para permanecer com ele por mais alguns instantes. Mas prabhu Hridayananda achou que, na realidade, seria mais proveitoso usar esse tempo para distribuir os livros de Srila Prabhupada no aeroporto, estabelecendo assim o exemplo de como se deve apreciar ainda mais os ensinamentos do guru e o cumprimento de suas instruções do que sua companhia física.

Hoje, mais de quarenta anos após este inesquecível incidente, a Krishna House ainda é um importante pólo de divulgação da consciência de Krishna para o público universitário, distribuindo diariamente centenas de refeições no campus da Universidade da Flórida e abrigando o espetacular programa Bhakti Academy, que dá a oportunidade de alunos interessados em praticar o atemporal bhakti-yoga morarem no templo por um ou dois semestres, onde podem estudar as escrituras védicas, aprender técnicas de meditação baseadas no cantar do maha-mantra, culinária vegetariana e sânscrito. Isso tudo graças a misericórdia de Sri Sri Guru-Gauranga e o esforço incansável de jovens como prabhu Hridayananda (hoje Sua Santidade Hridayananda Dasa Gosvami, um dos principais mentores do Movimento da Consciência de Krishna no mundo, Ph.D. em Sânscrito e Estudos Indianos pela Harvard University, tendo sido convidado para palestrar na Cambridge University, Oxford University, Stanford University, Yale University, entre outras renomadas instituições de ensino pelo mundo), que se dedicaram a satisfazer o desejo de seu mestre espiritual, Srila Prabhupada, que queria ardentemente salvar a juventude desorientada da densa ilusão que os cercava e os ocupar na mais excitante, inspiradora e recompensadora causa: o Movimento de Sankirtana do Senhor Chaitanya.

.

Se gostou deste material, também gostará destes: Escola Bhakti: Amar é Servir, Cientificamente Avançados, Espiritualmente Primitivos.

.

Se gostou deste material, também gostará do conteúdo destas obras:

18 1 18 218 3 18 4

Uma resposta

  1. Hare Krishna! Excelente relato. Talvez caiba uma correção: a cidade de Gainesville é o lar da Universidade da Florida.

    19 de julho de 2013 às 6:35 AM

Comente

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 272 outros seguidores