A Meta da Vida é Ser Preguiçoso

-04 (artigo - política) I A Meta da Vida é Ser Preguiçoso (sankirtana) (1006) (bg) (ta)
Sua Divina Graça A.C. Bhaktivedanta Swami Prabhupada

Em uma caminhada em outubro de 1975, em Johannesburg, África do Sul, Sua Divina Graça A.C. Bhaktivedanta Swami Prabhupada fala sobre como o preguiçoso inteligente goza da melhor posição sob todos os aspectos.

Indiano: O senhor não acha que o povo da África do Sul é preguiçoso?

Prabhupada: Por que você não é preguiçoso? Impedir isso é o arranjo do governo, a política do governo. Percebe? Tornar-se preguiçoso é a recomendação do shastra [a escritura revelada]. Preguiçoso tornou-se uma palavra negativa, mas, de fato, vida de verdade não é trabalhar muito duro. Trabalhar muito duro apenas para comer é vida animal, e não vida humana. A vida humana deve ser muito pacífica – sem nenhum trabalho árduo – para que seja possível cultivar o conhecimento espiritual. Não devemos trabalhar como porcos e cães, ao longo de todo o dia, para conseguir um pouco de excremento. Isso não é vida humana. As pessoas estão sendo instruídas a trabalhar muito duro. Isso não é vida humana. Portanto, aqueles que têm dinheiro constroem um ótimo bangalô em um local reservado a fim de viverem pacificamente – a fim de se tornarem preguiçosos. Não é assim?

Indiano: Exato.

Prabhupada: A perfeição da vida é, em última instância, tornar-se preguiçoso – você não tem que trabalhar. Essa é a perfeição, eles dizem. Se não pensassem assim, por que viveriam em um chalé afastado? Nos finais de semana, os estadunidenses deixam o trabalho de lado. Eles ficam cansados devido ao trabalho duro e vão para seus chalés. A intenção é viver uma vida pacífica, e não trabalhar muito duro. Isso é vida humana. Se não concordam com isso, por que deixam a cidade nos finais de semana? Por quê?

Indiano: Eles querem descansar, eu suponho. Querem descansar.

Prabhupada: Isso é preguiça.

Indiano: Não…

Prabhupada: Sim. Descansar é preguiça; você não trabalha.

Indiano: Se você trabalha cinco dias na semana, você descansa dois…

Prabhupada: Você tem que trabalhar para poder se dar à preguiça. (risos) Isso é outra coisa. Contudo, a meta é se dar à preguiça. Você trabalha muito duramente por cinco dias apenas para poder ser preguiçoso por dois dias. Isso é tudo. Porém, se você tiver meios para ser preguiçoso por sete dias na semana, você preferirá isso.

Pusta Krishna: Mas acho que a maioria das pessoas enlouqueceria se não tivesse nenhum trabalho.

Prabhupada: Não, isso significa que a vida de tais pessoas não está sendo conduzida apropriadamente. A palavra não é exatamente “preguiça”. Quando digo “preguiça” me refiro a minimizar a labuta corpórea e dedicar-se ao trabalho espiritual. Se você convidar as pessoas: “Por favor, venham ao nosso templo”, quem virá? A maior parte das pessoas diz: “Não tenho tempo”. Nós, entretanto, não estamos trabalhando duro.

Existem quatro classificações: “o preguiçoso inteligente”, “o atarefado inteligente”, “o preguiçoso tolo” e “o atarefado tolo”. No momento atual (risos), o mundo inteiro está repleto de atarefados tolos. Não obstante, o homem de primeira classe é “o preguiçoso inteligente”. O homem de segunda classe é “o atarefado inteligente”; o homem de terceira classe é “o preguiçoso tolo”; o homem de quarta classe, o “atarefado tolo”.

Na atualidade, os indivíduos estão ocupados, mas são tolos – como macacos. O macaco é muito atarefado, e as pessoas preferem ser uma geração de macacos, de “atarefados tolos”. O tolo, quando se ocupa, simplesmente arruína tudo. Um tolo com preguiça é melhor porque não fará tanto mal, mas um tolo atarefado simplesmente arruinará tudo. E o homem de primeira classe é o preguiçoso inteligente. Ele conhece a meta da vida. Ele pensa com sobriedade. É assim que vocês verão todos os nossos grandes santos. Eles viviam na floresta, meditavam, se submetiam a austeridades e escreviam livros – todos preguiçosos inteligentes, todos homens de primeira classe.

Indiano: Não como os macacos, pulando de um galho a outro.

Prabhupada: Que valor há em um tolo atarefado? Ele é tolo e está ocupado. Hoje em dia, a educação se destina a criar tolos atarefados, e nada além disso.

Indiano: E quanto ao inteligente atarefado? Como ele se comporta?

Prabhupada: “Inteligente atarefado” significa que ao menos há algum significado em todas as suas tarefas. “Inteligente preguiçoso” significa fazer coisas superiores. Nos termos védicos, o inteligente preguiçoso é o brahmana, e o inteligente atarefado é o kshatriya.

A sociedade deve ser dividida em quatro classes, como recomenda o Bhagavad-gita. Os shudras são os tolos atarefados, daí terem de ser orientados. Para cada cem trabalhadores, é preciso um líder para fornecer as direções: “Por que vocês estão fazendo isso? Por que não descontinuam tal coisa?”. De outro modo, os tolos atarefados arruinarão tudo. Agora, o mundo inteiro está tomado de tolos atarefados. Isso é tudo.

Para os brahmanas, o Bhagavad-gita não recomenda: “Trabalhai duramente dia e noite”. As qualificações bramânicas são controle dos sentidos, controle da mente, veracidade, limpeza, conhecer tudo muito bem, aplicar de maneira prática o conhecimento e ter completa fé no shastra e em Bhagavan, Deus. (Bhagavad-gita 18.42) Recomendam-se tais coisas, e não que um brahmana ocupe-se muito ao longo de todo o dia e de toda a noite para conseguir comida.

O shastra diz: “Não há utilidade em se ocupar para obter sua comida. A comida já está disponível”. A comida já está disponível, e ele a obterá, pois Deus já fez os arranjos para isso. Contudo, a maioria das pessoas se constitui de atarefados tolos, que não compreendem o arranjo de Deus. Eles se ocupam, dia e noite, como gatos e cães, apenas para obter comida.

Há muita terra. Se todos trabalharem por dois meses, podem plantar seu alimento do ano inteiro. Há muita terra. Mas não: em vez de plantarem alimentos, fabricarão martelos, pneus, bombas atômicas e então isso e aquilo. São atarefados tolos. São tolos e estão muito atarefados. Todos estão atarefados. Há três mil peças em um carro, e eles estão ocupados fabricando três mil peças de carro. Todos estão ocupados produzindo coisas indesejáveis, e criaram uma sociedade em que não têm alternativa a fazer isso.

.

Fonte da imagem: www.flickr.com/photos/sgtgarcia

.

Se gostou deste material, também gostará destes: Srila Prabhupada Conversa sobre Platão, Sistema de Castas: Discriminação Ignorante ou Cooperação Iluminada?, O Fracasso dos Movimentos de Liberação.

.

Se gostou deste material, também gostará do conteúdo destas obras:

-04 (artigo - política) I A Meta da Vida é Ser Preguiçoso (sankirtana) (1005) (bg) (ta)1 -04 (artigo - política) I A Meta da Vida é Ser Preguiçoso (sankirtana) (1005) (bg) (ta)4 -04 (artigo - política) I A Meta da Vida é Ser Preguiçoso (sankirtana) (1005) (bg) (ta)3 -04 (artigo - política) I A Meta da Vida é Ser Preguiçoso (sankirtana) (1005) (bg) (ta)2

 

Anúncios

2 Respostas

  1. Mahaksa Das

    Muito bom! Ainda bem que Prabhupada deixou seus livros e ensinou seus discípulos. São sempre esclarecedoras as palavras de Prabhupada.

    4 de agosto de 2014 às 6:01 PM

  2. Pingback: Artigos e Palestras | Volta ao Supremo | Página oficial

Comente

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s