A Indagação nos Faz Humanos

ideiaA.C. Bhaktivedanta Swami Prabhupada

 Por superarmos nossos desejos materiais, podemos compreender Deus e apreciar Seu amor por nós.

“A Verdade Absoluta é realizada pelo estudante ou sábio que é um indagador sério, bem equipado com conhecimento e que se tornou desapegado por prestar serviço devocional e ouvir o Vedanta-sruti”. (Srimad-Bhagavatam 1.2.12)

Antes de qualquer outra coisa, temos que saber que o propósito da vida é compreender a Verdade Absoluta. Esta forma humana de vida não se destina a ser desperdiçada por vivermos como cães e suínos. Os cães e suínos dedicam todo o seu dia e toda a sua noite a trabalharem muito duro para conseguir comida e sexo. A natureza organizou tudo de tal maneira que eles não têm nenhuma outra ocupação. A vida humana, em contraste, não tem esse objetivo, senão que é uma chance, dada pela natureza, para compreendermos a Verdade Absoluta.

De acordo com as escrituras védicas, passamos por 8.400.000 formas de vida, mas apenas nesta forma humana de vida, e especialmente na forma humana civilizada, podemos compreender a Verdade Absoluta.

Tente entender este exemplo: um oficial do alto escalão do governo recebe todo tipo de facilidade – boa qualidade de vida, um bom apartamento, um ótimo salário, muitos funcionários. Qual é o objetivo disso? Permitir que, com a cabeça fria, a mente satisfeita, ele possa prestar serviços valiosos ao Estado. De forma similar, o ser humano recebe muitíssimas facilidades: grãos, frutas, flores e leite em abundância, junto de inteligência para construir casas, estradas e cidades de qualidade. Por quê? Para que ele possa viver pacificamente e tentar compreender a Verdade Absoluta, e não para acumular confortos materiais e desfrutar dos sentidos.

No mundo ocidental, por exemplo, as pessoas recebem muitíssimas facilidades para terem uma vida confortável, mas porque não sabem como utilizar isso, há muito caos e desorientação, pois os seres humanos não se destinam a uma vida confortável de gozo dos sentidos. Como declarado no Srimad-Bhagavatam (1.2.10), a vida humana se destina a tattva-jijnasa, indagar acerca da Verdade Absoluta. Ganhe dinheiro, viva confortavelmente, mas utilize a maior parte do seu tempo para conhecer a Verdade Absoluta. Essa é a meta da nossa vida.

Agora, uma vez que nosso principal afazer é assimilar profundamente a Verdade Absoluta, temos que ter uma noção básica do que é a Verdade Absoluta. O Vedanta-sutra (1.1.2) traz a seguinte declaração, janmady asya yatah: “A Verdade Absoluta, ou Brahman, é a causa original de tudo, a causa de todas as causas.” E quem é essa causa de todas as causas? A Brahma-samhita (5.1) afirma, isvarah paramah krishnah sarva-karana-karanam: “Krishna, o Controlador Supremo, é a causa de todas as causas.”

Então, nossa indagação acerca da Verdade Absoluta começa quando perguntamos: “Por que vim para este mundo material? Por que estou sofrendo?” Eu não quero morrer, mas eu sou forçado a aceitar a morte. Eu não quero envelhecer, mas eu sou forçado a aceitar a velhice. Por quê?” Essas são as perguntas apropriadas a um ser humano. Infelizmente, entretanto, a maioria das pessoas não se interessa por essas questões. Estão interessadas apenas em perguntar: “Onde está o dinheiro? Onde está o dinheiro? Onde está o dinheiro?”

Como diz Shukadeva Gosvami no Srimad-Bhagavatam (2.1.3):

nidraya hriyate naktam
vyavayena ca va vayah
diva carthehaya rajan
kutumba-bharanena va

“As pessoas estão desperdiçando suas noites simplesmente dormindo ou fazendo sexo, e, durante o dia, estão trabalhando muito duro para obter dinheiro. E se conseguem dinheiro, desperdiçam seu tempo gastando-o com parentes, crianças e assim por diante.”

Não devemos arruinar nossa vida dessa forma. O propósito da vida é outro. O problema é que as pessoas da civilização moderna não sabem que o objetivo da vida é conhecer Krishna, ou Vishnu. (na te viduh svartha-gatim hi vishnum). Essas pessoas estão tentando fazer arranjos políticos ou sociais para solucionar seus muitos problemas. As Nações Unidas têm tentado manter a paz no mundo, mas ainda há guerra entre muitas nações, embora todos estejam se dedicando a política e diplomacia. Não é assim que os problemas da vida podem ser solucionados.

A solução para os problemas da vida pode ser realmente encontrada neste movimento da consciência de Krishna. Quem é inteligente deve estudar este movimento e tentar aplicar a consciência de Krishna em todos os campos de atividade – político, religioso, econômico, social. Assim se dá a verdadeira indagação acerca da Verdade Absoluta.

Agora, o verso do Srimad-Bhagavatam que lemos ao princípio descreve como alguém pode se interessar por aproveitar o verdadeiro valor da vida humana. O valor da vida humana é que podemos indagar acerca da Verdade Absoluta, mas como alguém pode desenvolver a inclinação a indagar dessa maneira? Normalmente, essa inclinação está no coração de todos, mas, agora, foi encoberta por propensões artificiais. O Senhor Caitanya diz, nitya-siddha krishna-prema ‘sadhya’ kabhu naya: “O amor por Krishna está eternamente no interior do coração de todos; não se trata de uma imposição artificial à mente.” Naturalmente, todo homem sóbrio tem a tendência a perguntar: “Quem sou eu? Quem é Deus? Qual é a minha relação com Ele? Por que estou sofrendo?” Há muitas perguntas que devem ser feitas.

Então, aqui se sugere que se você é realmente sério quanto a tattva-jijnasa, indagar acerca da Verdade Absoluta, você tem que ter alguma fé preliminar. O primeiro ponto é fé. Srila Rupa Gosvami confirma isso; ele apresentou uma fórmula para se alcançar o estágio de perfeição da vida, o amor a Deus, e ele diz que o começo é a fé.

Devemos sempre nos lembrar de que este movimento da consciência de Krishna está ensinando as pessoas a amarem a Deus. Essa é a essência do nosso movimento. Infelizmente, as pessoas não têm ideia de quem é Deus, ou qual é a Sua forma, para não falar de amá-lO. Em geral, as pessoas pensam que Deus não tem forma. Se alguém avançou um pouco na vida espiritual, ele chega ao ponto de nirakara, ou nirvishesha-brahman, a concepção amorfa da Verdade Absoluta. Esse é o primeiro passo na realização de Deus. Mas as pessoas não querem ir além disso; pensam que o estágio Brahman é o estágio final. Mas não é. Você tem que avançar mais e compreender Paramatma, a Superalma no coração. E, por fim, você tem que avançar até o ponto de conhecer Bhagavan, o Senhor Supremo.

Então, estamos ensinando as pessoas a amarem a Suprema Personalidade de Deus. Isso diz respeito a quem superou a esfera de Brahman e Paramatma – é ele quem pode entender o processo de amar a Deus. Se você não tem nenhuma ideia em relação a Deus, como poderia amá-lO? Você não pode amar o ar ou o céu. Você tem que amar uma pessoa, com forma. No começo, porém, não temos ideia do que é a forma de Deus. Portanto, o shastra diz, isvarah paramah krishnah sac-cid-ananda-vigrahah: “O controlador supremo é Krishna, e Ele tem uma forma eterna de bem-aventurança e conhecimento.” Temos que ter fé nessas descrições.

Srila Rupa Gosvami, portanto, diz adau sraddha: “No começo, é preciso ter um pouco de fé.” Temos que ter a firme convicção de que, se amarmos Krishna, Deus, isso é a perfeição da nossa vida. Temos que estar firmemente convencidos de que, caso simplesmente nos rendamos aos pés de lótus de Krishna, Ele nos salvará de todo sofrimento. Ele nos garante isso na Bhagavad-gita (18.66), aham tvam sarva-papebhyo mokshayishyami. “Não se preocupe. Libertarei você de todas as reações pecaminosas.”

As pessoas sofrem por causa de atos pecaminosos. Os sofrimentos pelos quais passamos agora são reações de nossas atividades pecaminosas do passado, e por realizarmos atividades pecaminosas nesta vida, estamos nos preparando para entrar em outro corpo para mais misérias. Todos neste mundo material têm um corpo material, e se deve entender que este corpo se deve às nossas atividades pecaminosas do passado. Portanto, o Bhagavatam (5.5.4) diz que não devemos cometer mais atividades pecaminosas, na sadhu manye yata atmano ’yam asann api kleshada asa dehah. Porque temos estes corpos, estamos sofrendo, então por que deveríamos agir de tal maneira que teremos que aceitar outro corpo e continuar nosso tempo de sofrimentos? E talvez não tenhamos um corpo humano em nossa próxima vida. Suponha que obtenhamos o corpo de uma árvore. Nós, então, teremos que ficar de pé por centenas de anos, sofrendo com o calor escaldante, frio congelante e vento forte.

O problema é que as pessoas não têm conhecimento de que a alma espiritual é eterna, que está transmigrando por diferentes tipos de corpos e sofrendo diferentes tipos de condições miseráveis. Por ignorância, as pessoas pensam: “Eu, agora, tenho um ótimo corpo. Estou comendo bem, dormindo bem, tendo relações sexuais agradáveis.” Mas esse é o afazer dos suínos e cães; não é o afazer de um ser humano. O ser humano tem que ser sério quanto a compreender o valor da vida e se preparar para a próxima vida.

Na próxima vida, você tem que voltar para Krishna. Krishna diz na Bhagavad-gita (15.6), yad gatva na nivartante tad dhama paramam mama: “Aqueles que retornam à Minha morada suprema jamais retornam a este mundo material miserável.” Krishna vem a este mundo. Ele nasce aqui para nos convencer disto: “Meus amados filhos, por favor, voltem para casa. Por que estão sofrendo aqui? Por que estão criando tantas bobagens na esfera política e econômica, e isso e aquilo? Tantas coisas estão sobrecarregando vocês. Então, por favor, simplesmente venham a Mim; vocês serão felizes.” Essa é toda a instrução da Bhagavad-gita.

Quando Krishna vem, Ele nos mostra Seus passatempos em Vrindavana e nos convida: “Você também pode dançar coMigo. Você pode brincar coMigo, tal qual os vaqueirinhos. E Eu lhe darei proteção. Há muitíssimos demônios vindo nos atacar, mas protegerei você”. Uma vida jubilosa, anandamayo ‘bhyasat. Isso é a consciência de Krishna.

Krishna vem pessoalmente nos convidar a voltar ao lar, mas somos tão teimosos que não adotamos a consciência de Krishna. Não seja assim. Tenha fé. Tente entender Deus com todos aqueles que estão realmente seguindo Deus (evam parampara praptam). Se você tentar aprender sobre a Verdade Absoluta com aqueles que estão na sucessão discipular que começa com Krishna, você poderá entender sua relação com Deus e como você pode sair das condições miseráveis da vida material. Isso é possível.

Então, tudo começa com fé (sraddha). Essa fé é como uma fagulha. Agora, é preciso abaná-la para que se torne uma grande fogueira. Como? Srila Rupa Gosvami nos deu a fórmula. Se você tem um pouco de fé na Verdade Absoluta, Bhagavan, então o próximo passo é ficar na companhia dos sadhus (sadhu-sanga). Quem é um sadhu? Sadhu significa “devoto de Krishna”. Não pensemos que sadhu se refere a alguém que tem uma grande barba e um bigode e usa roupas laranjas, mas não tem qualquer noção de Krishna. Essa pessoa não é um sadhu. Sadhu é quem está completamente ocupado no serviço a Krishna, quem não tem qualquer outro afazer senão amar Krishna. Esse é o sintoma de um sadhu.

Então, o próximo passo é bhajana-kriya, adotar o processo da consciência de Krishna com um pouco de seriedade. Por exemplo, antes de tudo estes jovens vieram a um de nossos centros por curiosidade e desejo de fazer perguntas, e se associaram com os devotos. Então, pouco a pouco, a fé deles cresceu e começaram a entoar Hare Krishna e tentar compreender a nossa filosofia. Então, aproximaram-se de mim com um pedido: “Swamiji, por favor, me dê a iniciação”. Esse é o efeito de sadhu-sanga, a associação com os devotos.

Este movimento da consciência de Krishna se destina a dar a todos a oportunidade de se associarem com os devotos de Krishna. Por se associar com os devotos, o sujeito também se torna um devoto. Se você fica na companhia de alcoólatras, você se torna um alcoólatra, mas se você fica na companhia dos devotos, você pouco a pouco se torna um devoto. Essa é a sequência natural.

Então, o próximo estágio é anartha-nivritti, livrar-se de todas as atividades pecaminosas. Na verdade, a menos que você esteja livre de todas as atividades pecaminosas, você não pode se ocupar em serviço devocional. Krishna confirma isso na Bhagavad-gita (7.28), yesam tv anta-yesham tv anta-gatam papam bhajante mam dridha-vratah: “O sujeito pode se estabelecer firmemente no serviço devocional quando está livre de anarthas – coisas indesejáveis, ou atividades pecaminosas.”

Então, esses são os diferentes passos no processo de se alcançar amor por Deus. Primeiramente, você tem que ter um pouco de fé preliminar, então você tem que se associar com os devotos, então adotar o processo e, em seguida, chegar ao estágio de ficar livre de todos os hábitos indesejáveis. Quando todos os seus hábitos indesejáveis são extirpados, você terá uma fé firme, nistha, e será capaz de continuar estavelmente até prema, o amor por Deus.

Se gostou deste material, também gostará destes: Definindo o Divino, Oriente e Ocidente | Os Ensinamentos de Krishna sobre Yoga e Meditação.

Se gostou deste material, também gostará do conteúdo destas obras:

vedaBhagavad gita luxo sri isopanisad