A Sexualidade como Caminho Divino

casal legoBhakti-tirtha Swami

Como tudo mais, o sexo pode harmonizar-se com o sagrado.

Uma vez que a sociedade de hoje não entende corretamente a diferença entre amor e sexo, muitos de nós não reconhecem a importância da alma nos relacionamentos entre homem e mulher. A promiscuidade está muito difundida. Como observamos, muitos líderes estão perdendo influência e poder devido ao pouco controle de sua energia sexual. As famílias – os pilares de uma nação – são instáveis e estão se desintegrando. Inúmeras crianças indesejadas nascem todos os dias.

A sexualidade é uma força vital poderosa que não é nem inerentemente boa nem má. Como uma lâmina, seu valor depende de como é utilizada. Um médico pode usar uma lâmina para salvar a vida de alguém, ao passo que um criminoso pode usar a mesma lâmina para matar. A diferença reside na consciência da pessoa que está lidando com o objeto cortante. Da mesma forma, a sexualidade também tem duas polaridades. A atividade sexual pode ser um veículo para o abuso grosseiro, a exploração e a luxúria. Nestas condições, o sexo se torna uma questão de egoísmo. Por outro lado, se o ato sexual é uma troca de amor de acordo com os princípios religiosos, ele se torna altruísta e divino.

A Importância de Relacionamentos Profundos

A sociedade está desesperadamente carente de relacionamentos amorosos com profundidade – muito mais profundos e mais amorosos do que é o padrão de hoje. Estamos muito distraídos pela estimulação sexual, vendo uns aos outros primariamente como máquinas de sexo e, assim, perdendo o acesso a um nível de contato mais satisfatório e significativo. Na maioria dos casos, o que normalmente chamamos de amor é um arranjo para conseguir alguma satisfação dos sentidos. Lembre-se que a maioria das pessoas não experimentou o amor genuíno. De fato, muitos de nós são incapazes de aceitar manifestações de amor de uma pessoa — quer sejam os pais, um amigo ou o cônjuge — sem perguntar sobre os motivos por trás disso. Não experimentamos o amor incondicional e desinteressado, e certamente não descobrimos o amor, através do sexo.

maos compromissoHomens e mulheres devem aprender o significado do compromisso e buscar desenvolver conexões duradouras.

Homens e mulheres devem se tornar mais sofisticados acerca dos relacionamentos. Isto não quer dizer que, necessariamente, eles tenham que se abster de sexo. Mas, em vez de se agarrarem aos prazeres fugazes, devem aprender o significado do compromisso e buscar desenvolver conexões fortes, duradouras e generosas uns com os outros.

A Beleza Vem da Alma

Esta sociedade dedica uma quantidade excessiva de energia para embelezar o corpo, visando atrair os membros do sexo oposto. Porém, é a alma que é a fonte de nossa beleza e atratividade para os outros, e não o corpo. Porque Deus é belo, quanto mais devotados e sublimes nos tornamos, mais nossa beleza natural se irradia. Às vezes, esquecemos desta verdade e mantemos nossos relacionamentos em um nível meramente físico.

Mas homens e mulheres podem desenvolver conexões mais profundas uns com os outros. Além da dimensão física, as mulheres geralmente se apaixonam e interagem com os homens de coração, enquanto estes, frequentemente, relacionam-se com a mente. Por causa desta diferença, homens e mulheres não se entendem muito bem, de modo geral. Ainda assim, há um nível mais profundo de relacionamento, onde estas diferenças dissolvem-se na energia radiante da alma. Isto se dá quando a sexualidade se torna uma força poderosa e construtiva.

O Sexo É Sagrado

O sexo é saudável e natural e cumpre uma função divina. Em sua forma de expressão mais elevada, uma relação sexual significa que um homem e uma mulher se uniram para servir a Deus, criando um ambiente para uma nova alma entrar neste reino material e desenvolver seu relacionamento com Ele. Quando vemos o sexo genuinamente como uma responsabilidade sagrada e um serviço, ele se transforma em um ato espiritual. Por outro lado, quando consideramos os relacionamentos a partir de uma perspectiva superficial, cedendo a encontros sexuais casuais, estamos aceitando uma visão materialista e egoísta da vida humana.

Uma cosmologia mais espiritual vê os seres humanos como parte de uma comunidade maior, em que cada pessoa desempenha um papel de responsabilidade. Um homem que simplesmente engravida uma mulher e a abandona não está sequer demonstrando responsabilidade pessoal, muito menos responsabilidade social ou compreensão espiritual. Para ser socialmente responsável, uma pessoa tem que estar preocupada com o bem-estar da comunidade inteira.

Hoje em dia, muitos de nós se ocupam em sexo com tanta frequência que nossa vitalidade sexual se enfraqueceu, e muitos relacionamentos estão fracassando fisicamente porque as pessoas não conseguem satisfazer umas às outras. Estamos ficando cada vez mais mecânicos em nossas atividades, incapazes de apreciar níveis mais profundos de associação, amor e serviço.

A Sexualidade no Casamento

Em um casamento, marido e mulher devem ver seus parceiros como presentes de Deus. Os cônjuges que pensam desta maneira, compreendendo que o Senhor os confiou alguém para cuidar, terão a cautela de proteger seus parceiros, de modo que agrade o Senhor. Os casamentos estabelecidos e mantidos com este fundamento são extremamente amorosos e doces, e os filhos desta união crescem em uma atmosfera maravilhosamente incentivadora. Quando os casais se congregam em união sexual, ambas as partes devem desejar o encontro e o considerar divino. A experiência, então, torna-se uma expressão de amor profunda e inspiradora. Cada vez que eles se unem, o homem e a mulher devem se lembrar que a expressão máxima da sexualidade é o nascimento de uma criança. Por esta razão, eles não devem usar contraceptivos ou recorrer ao aborto, porque estas são interferências no propósito sagrado da sexualidade. A contracepção não é natural, embora seja uma prática aceita hoje em dia. Temos que tomar cuidado para não confundir considerações sociológicas com espirituais. Um homem e uma mulher podem não querer conceber uma criança porque eles têm carência de meios financeiros para sustentar o novo membro da família ou porque não se sentem psicologicamente prontos. Mas estas circunstâncias são diferentes das realidades espirituais da situação. Espiritualmente, quando um homem e uma mulher se entregam um ao outro na união sexual, eles têm que estar prontos para as consequências naturais. A consciência espiritual deve ter prioridade, orientando-os para compreender o uso dos contraceptivos a partir de uma perspectiva espiritual, e não material.

A Ciência da Procriação

Há uma ciência sobre a vida sexual conhecida pelas civilizações que explica como e quando unirem-se sexualmente. A consciência do homem e da mulher durante o ato sexual tem uma influência sobre a alma que, por fim, virá a este mundo. As pessoas que se ocupam em sexo com um estado de consciência negativo produzem seres de consciência inferior. Hoje, geralmente, as pessoas fazem sexo sob a influência de circunstâncias desfavoráveis — na escuridão, enquanto drogadas ou com o cônjuge de outra pessoa. Às vezes, a mulher pode não desejar engravidar, de forma que mesmo que ela não aborte, a alma da criança indesejada pode vir em um ambiente onde os pais a negligenciam. Esta alma entra neste mundo em um estado de crise.

Em contraste, se os parceiros estão dispostos a aceitar a responsabilidade envolvida e se preparam espiritualmente para o encontro sexual, sua consciência, na verdade, convoca uma alma mais elevada, que possa fazer uma contribuição positiva para o mundo. Não podemos nunca nos esquecer de que o futuro da criança depende, em uma proporção maior do que podemos compreender, da consciência dos pais na hora da concepção. Um homem e uma mulher ocupados na atividade sexual estão aceitando uma responsabilidade sagrada.

casal coelhoMesmo durante a gravidez, deve-se criar uma atmosfera amorosa para os filhos.

Um homem e uma mulher que estão prontos para conceber uma criança devem fazer esforços especiais para criar um ambiente pacífico e espiritual antes de se darem ao sexo. Eles podem cantar, meditar, ler livros espirituais e, de modo geral, preparar a consciência deles para dar as boas-vindas para uma alma altamente evoluída. Mesmo durante a gravidez, os futuros pais devem criar uma atmosfera saudável, amorosa e motivadora para seus filhos. Lembre-se de que as almas começam sua educação assim que entram no útero. A ciência moderna está apenas começando a confirmar isto, descobrindo que o feto é consciente e pode aprender enquanto se desenvolve dentro da mãe. Os sons que ouve, a comida que a mãe ingere, a atmosfera que circunda a mãe — todos estes fatores e muitos outros afetam a consciência da criança muito antes do seu nascimento.

A Prática do Celibato

Embora a sexualidade, expressa de maneira regulada e orientada espiritualmente, seja apropriada para a maioria das pessoas, há exceções importantes. Os celibatários, em vez de ficarem limitados a um relacionamento, são capazes de oferecer amor profundo e preocupação por qualquer pessoa que entre em seu ambiente.

Uma palavra de prudência: homens e mulheres devem receber um “chamado” específico para uma forma de vida celibatária antes de se ocuparem em tais práticas. Além disso, eles devem ser cuidadosos para não praticar o celibato isolados, sem associações amorosas. Se eles forem viver sem um parceiro imediato, devem aprender a ver a todos como sua família e a cercarem-se de relações amorosas.

Na verdade, o celibato é muito raro e não o recomendamos à maioria das pessoas. Como regra geral, a sociedade requer famílias fortes, conscientes de Deus, e é por isso que a maioria das pessoas deve casar e criar filhos saudáveis, em vez de praticar o celibato. Mas todos devem entender que certos indivíduos escolhem um estilo de vida celibatário visando servirem os outros de maneira ainda mais dedicada e amorosa.

Colocando a Vida Material em Perspectiva

Em última análise, cada um de nós tem que aprender a ser livre, controlando os nossos sentidos e desejos dentro do confinamento imposto por este corpo físico neste mundo material. Quer sejamos celibatários, quer sexualmente ativos, devemos sempre nos conectar com algo mais elevado que irá nos orientar, proteger, animar e nos dar um sentimento de segurança. Os antigos ensinamentos védicos nos recordam, assim como muitas outras tradições, de que todos os mundos, materiais e espirituais, têm a sua origem em Deus. Assim, se tentamos satisfazê-lO, estamos automaticamente em contato com o núcleo de tudo. Desta forma, o que quer que precisemos virá naturalmente para nós.

Infelizmente, a maioria de nós ignora esse fato e ruma na direção errada. Em vez de melhorarmos nosso relacionamento com Deus, passamos a maior parte de nosso tempo tentando satisfazer os nossos desejos inferiores. A sexualidade, se mal compreendida, pode ser uma armadilha para que sejamos mantidos presos ao mundo material. Certamente temos que prestar atenção ao corpo para que funcione de maneira eficaz. Mas se nossa prioridade é a satisfação dos sentidos e a satisfação própria, acima de tudo, teremos de ficar retornando a este mundo físico para participar dos jogos sensuais e materiais inúmeras vezes. Por outro lado, se a vida espiritual é o nosso compromisso, então as nossas experiências neste mundo não serão um fim em si mesmas, mas indicações mostrando o caminho de volta à morada de Deus.

Se gostou deste material, também gostará destes: A Relação Conjugal e a Consciência de Krishna, Viagra ou Vairagya: Onde Está a Bem-aventurança?.

Se gostou deste material, também gostará do conteúdo destas obras:

perfeição do cantardia21 (Crítica Literária - Teologia) Star Wars e a Literatura Védica9CAPA BHAGAVAN GITAcapa veda

 

Anúncios