Prasada: O Alimento que Nenhum Dinheiro Pode Comprar

capa_prasada

Visakha Devi Dasi

Que comida às vezes é amanteigada, às vezes doce, às vezes picante, às vezes suave, frequentemente incomum e sempre saborosa? Resposta: krishna-prasada.

Prasada” significa “misericórdia de Deus” e se refere especificamente ao alimento depois de oferecido a Krishna. Se você já esteve por perto dos devotos do Senhor Krishna, pode muito bem ter recebido alguma prasada na forma de pratos exóticos como puris, halava, katchori ou laddus, ou talvez apenas fatias de maçã com tâmaras e nozes. Qual é a diferença entre prasada e comida comum? Eles podem ter a mesma aparência, mas a diferença é que a prasada foi oferecida com amor ao Senhor Krishna por um de Seus devotos, ao passo que a comida comum o não foi.

A qualidade especial de um devoto, que o distingue dos outros, é que ele reconhece o domínio supremo de Deus sobre tudo o que existe. Ele sabe que o Senhor Supremo, Krishna, está criando e fornecendo não apenas todos os alimentos que comemos, mas também o ar que respiramos, a água que bebemos e, de fato, a própria terra em que vivemos. Na Bhagavad-gita (10.8), o Senhor Krishna diz:

aham sarvasya prabhavo
mattah sarvam pravartate
iti matva bhajante mam
budha bhava-samanvitah

“Eu sou a fonte de todos os mundos materiais e espirituais. Tudo emana de Mim. Os sábios que conhecem isso perfeitamente se ocupam em Meu serviço devocional e Me adoram de todo o coração.” Assim, o devoto, por um senso de dever, gratidão e amor, primeiro oferece toda a sua comida a Krishna. Embora Deus seja independente e de forma alguma precise dessas ofertas, nosso desejo de servi-lO é natural, como o desejo natural de uma criança madura de servir aos pais que cuidaram dela durante toda a vida.

O oferecimento do alimento é um bom exemplo de como um devoto age em relação a Krishna. Um devoto consciente de Krishna não pede que Krishna lhe supra seu alimento; o devoto sabe que Deus já está provendo tudo que nós e todos os outros seres vivos necessitam, desde o elefante até a formiga. Portanto, o devoto aceita a comida que o Senhor já forneceu – comida feita com frutas, legumes, hortaliças, leite, açúcar e grãos –, mas primeiro ele oferece a comida de volta a Krishna.

prasada1

Krishna fornece alimento até mesmo ao elefante e à formiga. Krishna fornece toda necessidade de Seu devoto.

A comida pode ser oferecida à forma de Krishna no templo, ou ao mestre espiritual, que é o representante de Krishna. Em qualquer caso, sempre se entende que a oferta é feita por meio do mestre espiritual.

Ateístas, é claro, objetarão que tal devoção não tem sentido. Este mundo e a vida nele, talvez eles afirmem, surgiram de uma força impessoal e sem vida. A perfeita ordem e harmonia do universo originaram-se da poeira do espaço sideral. A vida originalmente veio da matéria, de alguns produtos químicos que se juntaram por acaso. Krishna reciproca a postura desses materialistas permanecendo escondido de suas vistas, até que finalmente, no final de suas vidas, Ele vem a eles como a morte e tira tudo o que eles têm.

Aqueles que compreenderam que Deus existe, mas ainda não compreenderam completamente a ciência da devoção, podem perguntar por que, visto que Deus já está provendo tudo, devemos nos dar ao trabalho de oferecer nosso alimento a Ele. Além de expressar gratidão, devemos oferecer nossa comida primeiro ao Senhor porque isso nos protegerá das armadilhas materialistas que, de outra forma, nos enredariam ao comermos. Que toda ação tem uma reação igual e oposta é uma lei comumente conhecida na física. O que as pessoas geralmente não sabem, entretanto, é que essa lei se estende muito além dos limites da física; é uma lei da natureza que afeta profundamente quase todos os aspectos de nossa vida. Mesmo um ato simples como comer pode nos envolver em uma rede de reações materiais.

A literatura védica diz que jivo jivasya jivanam: um ser vivo serve de alimento para outro. Para comer, todos devemos matar. Como os animais são menos inteligentes, as leis da natureza não os responsabilizam pela matança que realizam naturalmente. No entanto, quando um ser humano mata, ele se envolve em uma complexa rede de ações e reações. Pelo sofrimento que inflige, ele mesmo terá que sofrer em algum momento no futuro. Contudo, ao preparar o alimento para Deus e oferecê-lo a Ele antes de comer, a pessoa se isenta das reações impostas pela natureza material. Na Bhagavad-gita (3.13), encontramos a seguinte declaração: “Os devotos do Senhor libertam-se de todas as espécies de pecados porque comem alimentos que primeiramente são oferecidos em sacrifício. Outros, que preparam o alimento para a satisfação dos próprios sentidos, na verdade comem apenas pecado.”

prasada2

 O Senhor diz na Bhagavad-gita que o oferecimento do alimento liberta de todo pecado.

Comentando esse verso, Srila Prabhupada diz: “Os devotos do Senhor, que estão em consciência de Krishna, oferecem o alimento a Krishna e, então, comem em um processo que nutre o corpo espiritualmente. Por tal ação, superam-se não apenas as reações pecaminosas passadas no corpo, mas o corpo fica imunizado contra toda contaminação da natureza material. Quando há uma doença epidêmica, uma vacina antisséptica protege a pessoa do ataque de tal epidemia. Da mesma forma, o alimento oferecido ao Senhor Vishnu [Krishna] e então ingerido por nós faz com que fiquemos suficientemente resistentes ao contágio material, e aquele que está acostumado a essa prática é chamado de devoto do Senhor.”

Os neófitos em autorrealização oferecem seu alimento a Krishna de acordo com as instruções de devotos avançados cujo único interesse é agradar a Krishna. Essas grandes almas servem a Krishna por amor e não esperam nada para si mesmas em troca. Mas como alguém pode agradar a essa Pessoa Suprema, que é completamente independente, totalmente consciente e que tudo permeia e que é a causa original de todas as causas? Simplesmente seguindo Suas instruções e as instruções de Seus devotos puros com uma atitude séria e sincera. O Senhor Krishna diz:

patram puspam phalam toyam
yo me bhaktya prayacchati
tad aham bhakty-upahrtam
asnami prayatatmanah

“Se alguém Me oferecer, com amor e devoção, uma folha, uma flor, uma fruta ou água, Eu aceitarei.” (Bhagavad-gita 9.26)

prasada3

 O devoto oferece a Krishna apenas o alimento autorizado por Krishna.

Se alguém deseja ser purificado através da prestação do serviço devocional transcendental ao Supremo, deve descobrir o que o Senhor deseja dele. Aquele que ama Krishna Lhe dará tudo o que Ele deseja e evitará oferecer qualquer coisa indesejável ou não solicitada. Portanto, não se deve oferecer carne, peixe ou ovos a Krishna. Se Ele desejasse tais oferendas, Ele o teria dito. Em vez disso, Ele claramente pede uma folha, fruta, flores e água, e diz sobre tal oferenda: “Eu a aceitarei.” Portanto, devemos entender que Ele não aceita carne, peixe e ovos. Legumes, hortaliças, grãos, frutas, leite e água são os alimentos adequados para os seres humanos e são enumerados pelo próprio Senhor Krishna. Não podemos oferecer a Ele qualquer coisa que queiramos, pois Ele não aceitará. Portanto, não podemos agir no nível de devoção amorosa se oferecermos alimentos indesejáveis.

Uma vez que a Suprema Personalidade de Deus tenha aceitado uma oferta (Ele pode aceitá-la vendo e ouvindo as orações de Seus devotos), o alimento, agora prasada, tem uma potência espiritual muito grande. Portanto, os devotos distribuem gratuitamente para todos essas preparações. Esse alimento espiritualizado aumenta a duração da vida, purifica a existência e concede força, saúde, felicidade e satisfação. Além disso, nutre a realização transcendental da pessoa. E essa é uma qualidade especial que não se pode comprar com nenhuma quantia de dinheiro.

Adquira e receba em casa:

culinária vegetarianabolo sem ovosdolce italia