O Caminho para a Paz

23 R (artigo - pregação) O Caminho para a Paz (750) (bg)1

A.C. Bhaktivedanta Swami Prabhupada
(da obra Civilização e Transcendência)

“O senhor prevê um papel diferente para a cultura védica nos países ocidentais, onde a influência de outras grandes religiões é proeminente há séculos?”. O fundador da Sociedade Internacional para a Consciência de Krishna, Srila Prabhupada, responde à indagação.

Discípulo lendo pergunta enviada por uma revista: “O senhor prevê um papel diferente para a cultura védica nos países ocidentais, onde a influência de outras grandes religiões é proeminente há séculos?”.

Srila Prabhupada: Não existe “papel diferente”, pois Deus é um, e não pode ser dois. Como Krishna afirma no Bhagavad-gita (7.7), mattah parataram nanyat kincid asti dhananjaya: “Não há autoridade superior a Mim”. Esse é Deus. As pessoas têm de entender que Krishna é Deus. Não existe “papel diferente” para a cultura védica, senão que o papel é o mesmo no mundo inteiro. Há cinco mil anos, Krishna disse: “Eu sou a autoridade suprema. Não há autoridade superior a Mim”, e Ele ainda o é. Devido a isso, estamos apenas tentando apresentar Krishna.

Antes, ninguém jamais tentara apresentar a autoridade suprema, Krishna, no mundo inteiro. Estamos apenas tentando apresentar Krishna se­guindo as ordens de Sri Chaitanya Mahaprabhu, que apareceu quinhentos anos atrás. Ele é Krishna e desejou que este movimento da consciência de Krishna se difundisse pelo mundo inteiro.

prthivite ache yata nagaradi-grama
sarvatra pracara haibe mora nama

“Em toda cidade e vila do mundo”, disse o Senhor Chaitanya, “o cantar de Meu santo nome será ouvido”. (Chaitanya-bhagavata, Antya-khanda 126) Krishna não é apenas para a Índia, senão que Ele é para todos, visto que é Deus. No Bhagavad-gita (14.4), Ele afirma que aham bija-pradah pita: “Eu sou o pai que dá a semente de todas as entidades vivas” – não apenas as entidades vivas da sociedade humana, mas também todas as outras entidades vivas, tais como os seres aquáticos, os insetos, as plantas, os pássaros e as feras.

Tudo está presente na cultura védica, mas esta cultura da consciência de Krishna, que é resumida no Bhagavad-gita Como Ele É, não havia sido bem apresentada, pois cada indivíduo interpretara o Bhagavad-gita à sua própria maneira para satisfazer seus próprios caprichos. Estamos tentando, pela primeira vez, apresentar o Bhagavad-gita como ele é, e nosso empenho vem se revelando efetivo. Este, portanto, não é um “papel diferente” para a cultura védica, mas o verdadeiro papel. Ninguém tentara isto antes, daí Krishna ter permanecido desconhecido nos países ocidentais. Porém, embora estejamos tentando apresentá-la há apenas alguns anos; porque é verdadeira, a consciência de Krishna está sendo aceita. Não é um novo papel para a cultura védica, senão que o papel é o mesmo, a saber, pregar a consciência de Krishna.

Essa é a visão de Chaitanya Mahaprabhu, que disse especialmente ao povo da Índia:

bharata-bhumite manusya-janma haila yara
janma sarthaka kari’ kara para-upakara

“Todos que nasceram como seres humanos na Índia, Bharatavarsha, devem tornar sua vida bem-­sucedida e trabalhar para a elevação do mundo inteiro”. (Chaitanya-caritamrta, Adi 9.41) Os indianos devem aceitar a missão de elevar o mundo inteiro, porquanto as pessoas de todo o mundo desconhecem Krishna. Quem nasceu na Índia, portanto, deve tentar propagar a mensagem do Bhagavad-gita e de Krishna – essa é a ordem de Chaitanya Mahaprabhu.

Esse não é um novo papel para a cultura védica – o papel é o mesmo. Quinhentos anos atrás, Chaitanya Mahaprabhu falou sobre ele. Porém, todos os yogis e svamis que foram ao Ocidente jamais apresentaram Krishna como a Suprema Personalidade de Deus. Agora, todavia, isso está sendo feito, e as pessoas estão aceitando naturalmente – este é o movimento da consciência de Krishna.

Se todos – quer indianos, quer não – unirem-se a este movimento, haverá uma religião e haverá paz. Essa é a única fórmula para a paz prevalecer.

bhoktaram yajna-tapasam
sarva-loka-mahesvaram
suhridam sarva-bhutanam
jnatva mam shantim ricchati 

“Uma pessoa em plena consciência de Mim, conhecendo­-Me como o beneficiário último de todos os sacrifícios e austeridades, o Senhor Supremo de todos os planetas e semideuses, e o benfeitor e benquerente de todas as entidades vivas, alivia-se das dores e misérias materiais”. (Bhagavad-gita 5.29) Compreender Krishna – entender que Ele é o desfrutador supremo, o proprietário supremo e o amigo supremo de todos – é a maneira de alcançar shanti, paz. “Aceite Krishna como seu amigo e você será feliz”, esta é a mensagem da consciência de Krishna.

.

Se gostou deste material, também gostará destes: Srila Prabhupada, Um Narada Muni Moderno, Cientificamente Avançados, Espiritualmente Primitivos, A Missão de Distribuir Livros.

Se gostou deste material, também gostará do conteúdo destas obras:

23 R (artigo - pregação) O Caminho para a Paz (750) (bg)4 23 R (artigo - pregação) O Caminho para a Paz (750) (bg)3 23 R (artigo - pregação) O Caminho para a Paz (750) (bg)2

Anúncios

Uma resposta

  1. Pingback: Artigos e Palestras | Volta ao Supremo | Página oficial

Comente

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s