Sorte ou Revés? Como Entender que Todos os Males Vêm para o Bem

capa

Archana Siddhi Devi Dasi

As escrituras e o exemplo de almas puras ajudam os devotos a ver a mão misericordiosa de Deus em todos os reveses da vida.

A caminho do aeroporto de Calcutá, saindo do complexo da ISKCON em Mayapur, Bengala Ocidental, Braja Sevaki Dasi e seu esposo, Jambudvipa Dasa, sofreram um acidente de carro quase fatal. Eles foram levados às pressas para o hospital e colocados na unidade de terapia intensiva. Nos primeiros dias após o acidente, notícias de sua condição de risco de vida espalharam-se entre os devotos em todo o mundo com pedidos urgentes de orações.

Depois que o casal se estabilizou, um devoto pediu a Braja Sevaki para escrever sobre a experiência da perspectiva de um devoto passando por grande sofrimento e como isso afeta nossa vida espiritual e como podemos aceitar que algo tão ruim ou infeliz esteja acontecendo conosco.

Ela respondeu que, antes do acidente, ela e o marido estavam sentindo que o peso de seus erros e condicionamentos estavam os incapacitando espiritualmente. Há muito tempo vinham orando pedindo a Krishna para ajudá-los a remover tudo o que impedia seu progresso em direção a Ele.

Em uma carta aos devotos, ela elaborou: “Podemos dizer com a maior sinceridade que esta situação foi a coisa mais maravilhosa que já aconteceu conosco. Krishna pegou, de uma só vez, todas as muitas e muitas coisas que ansiávamos colocar a Seus pés para que Ele eliminasse. Oramos pela remoção dessas coisas, e esperamos por Sua misericórdia. Mesmo no táxi a caminho do aeroporto, duas horas antes do acidente, eu me perguntava como Ele tiraria essas coisas de mim, como Sua misericórdia se manifestaria. E aconteceu. Ele veio. Da maneira mais vigorosa, mais certa e definitiva.”

sorte-ou-reves-1

É possível considerar um acidente de carro como algo bom?

Em meu trabalho como psicoterapeuta, as pessoas geralmente me contatam no meio de uma crise ou em um momento muito difícil de sua vida. Nos últimos vinte anos, ajudando os praticantes espirituais a navegar em tempos tempestuosos, desenvolvi uma apreciação muito mais profunda de como Krishna habilmente usa as circunstâncias materiais para ajudar a nos separar da concepção material da vida.

Recentemente, uma devota precisou de ajuda para aceitar a morte súbita de seu filho pequeno. Eu a ajudei durante o processo de luto e a ajudei a aceitar a situação como parte de sua jornada espiritual. A chave para sua cura veio em aceitar o evento como parte do plano maior do Senhor para sua vida. A maneira como respondemos aos acontecimentos em nossa vida, tanto por nossa atitude quanto por nosso comportamento subsequente, criará nosso futuro.

Srila Prabhupada, em uma conversa com um jovem que mais tarde se tornou seu discípulo, ilustrou como não somos simplesmente recipientes passivos de eventos predestinados da vida. O jovem estava defendendo o uso de LSD para a autorrealização. Após uma longa discussão, Srila Prabhupada derrotou suas ideias e lhe disse: “O homem é o arquiteto de sua própria fortuna. Então, faça sua fortuna agora. O que quer que tenha sido feito, foi feito. Agora, comece um novo capítulo em sua vida e, na próxima vida, vá de volta ao lar, de volta ao Supremo.”

Como uma psicoterapeuta com orientação espiritual para a vida, acredito que nossas circunstâncias atuais resultaram de nossas ações e atitudes passadas. Também acredito que, porque Krishna está no controle, em última análise, tudo o que acontece em nossa vida é para o nosso bem maior. Desta forma, tenho caminhado com devotos em seus momentos mais sombrios – dor crônica, abuso ou infidelidade do cônjuge, a morte de um ente querido, a perda permanente de mobilidade após um acidente e uma série de outras situações que, do ponto de vista material, são terrivelmente ruins. Juntos, com a ajuda do Senhor, trabalhamos para encontrar as joias nos infortúnios – as lições espirituais sempre presentes nas intervenções divinas de Krishna.

sorte-ou-reves-2

Porque Krishna está no controle, tudo o que acontece é para o nosso bem maior.

Nossa literatura gaudiyavaishnava está cheia de histórias sobre reveses materiais – eventos aparentemente negativos que se intrometem na vida de um devoto aspirante ou de um devoto puro executando a missão do Senhor. Ler a descrição da calamidade de um devoto pode nos fazer pensar que Deus é insensível e cruel, e podemos decidir abandonar o livro. Podemos até decidir denunciar o caminho teísta, recusando-nos a colocar nossa fé nesse ser chamado de Deus. Contudo, se fizéssemos isso, nosso julgamento prematuro do caráter do Senhor nos impediria de testemunhar quão habilmente o Senhor usa reveses materiais e dificuldades para trazer uma conclusão gloriosa para o benefício de Seus servos fiéis.

Escrita Certa em Linhas Tortas

Considere o exemplo de Srinivasa Acharya, que ainda era menino quando Chaitanya Mahaprabhu deixou este mundo há cerca de quinhentos anos. Srinivasa nasceu para continuar a distribuição do amor a Deus após a partida do Senhor Chaitanya. Quando jovem, ele passou um tempo em Vrindavana, onde alguns dos principais discípulos do Senhor Chaitanya escreveram livros elaborando Seus ensinamentos. Srinivasa e dois outros devotos (Narottama e Shyamananda) foram encarregados de transportar cópias dos livros de Vrindavana para os seguidores do Senhor Chaitanya na Bengala e na Orissa. Aceitando o serviço, eles levaram vários guardas para proteger o carro de boi carregando baús cheios de livros valiosos. A jornada se desenrolou sem contratempos até chegarem à província de Vishnupura, governada pelo pecador rei Virhambira. Seus espiões avistaram a carroça bem guardada e presumiram que os baús continham pedras preciosas. Depois de esperar até que os guardas adormecessem, eles emboscaram a carroça e roubaram os baús.

Quando o rei avidamente arrombou os baús para inspecionar seu roubo, seu entusiasmo apaixonado rapidamente se transformou em grande desânimo quando ele viu os baús cheios de livros. Decepcionado, ele ordenou a seus homens que guardassem os livros em seu depósito.

Enquanto o rei lamentava a perda de sua fortuna ilusória, Srinivasa e os outros devotos ficaram arrasados ​​com a perda do verdadeiro tesouro. Incapazes de compreender imediatamente o plano maior do Senhor, eles mergulharam em um desespero temporário.

Enquanto o resto de seu grupo seguia em frente, Srinivasa permaneceu em Vishnupura, na esperança de receber alguma pista sobre o paradeiro dos livros confiscados. Ele finalmente os encontrou e aproveitou a oportunidade para instruir o rei Virhambira acerca dos ensinamentos do Bhagavatam. Quando o rei ouviu essa escritura daquela grande alma liberada, seu coração se purificou e ele entregou sua vida e reino a Srinivasa. Assim, por um arranjo complexo do Senhor, o rei se tornou um vaishnava e, com sua riqueza e recursos, ajudou Srinivasa a transmitir os ensinamentos do Senhor Chaitanya. O que inicialmente parecia calamitoso tornou-se um acontecimento muito bem-vindo e feliz.

Vendo a Ajuda de Krishna

Seguindo o processo de serviço devocional, nós nos alinhamos com o místico supremo, o Senhor Krishna. Quanto mais dermos passos para confiar em Krishna como nosso mantenedor e guardião, mais veremos como tudo o que acontece em nossa vida é projetado para transformar nossa consciência de material em espiritual. Krishna habilmente organiza eventos na vida dos devotos para ajudá-los a abandonar seus apegos à matéria efêmera e apegar-se ao espírito eterno. Ele nos ajuda a corrigir nossas distorções perceptivas e a distinguir entre o eu eterno e o corpo temporário.

A devota que perdeu seu filho foi capaz de contemplar a possibilidade de que seu filho havia praticado a consciência de Krishna em sua vida anterior e precisava passar apenas um pouco mais de tempo nesta vida antes de ir para Krishna. Ela também extraiu muitas lições importantes sobre sua própria vida espiritual. Sentindo-se tão angustiada com a perda, ela se refugiou cada vez mais em suas práticas espirituais e sentiu que Krishna intensificou seu desejo de levar mais a sério o progresso espiritual nesta vida. Quanto mais intenso seu canto do mantra Hare Krishna se tornava, mais ela se convencia de que Krishna era seu único abrigo verdadeiro e fonte de felicidade.

Em um panorama surpreendente de eventos acontecendo simultaneamente, Krishna está purificando o coração de todos aqueles que se esforçam para se religar a Ele. Aqueles de nós que buscam nossas vidas espirituais sob a orientação de Prabhupada, em uma sociedade de vaishnavas de pensamento semelhante, devem sempre se esforçar para se lembrarem, uns aos outros, do amor eterno e inabalável que Krishna tem por cada um de nós. Desta forma, saberemos que, em nossa circunstância única, Krishna orquestra perfeitamente qualquer situação em que nos encontremos.

sorte-ou-reves-3

 Os devotos devem se lembrar, uns aos outros, do amor de Krishna por nós.

A vida pode ser comparada a uma grande sala de aula, repleta de lições e exames. Nossa liberdade na forma de vida humana reside em como usamos nosso tempo. Um plano de estudos alerta os alunos sobre datas de exames e projetos, mas cabe a eles usar o tempo livre para estudar. Da mesma forma, temos que usar nosso tempo livre para praticar nossa vida espiritual a fim de estarmos preparados para os exames que vêm, o teste final sendo a hora da morte. Fortes práticas espirituais, como cantar japa e ouvir devotos espiritualmente avançados, nos ajudarão a abraçar cada situação com a atitude de que tudo o que o Senhor faz é para o nosso bem maior. Isso nos ajudará a fazer um rápido avanço espiritual. Sob os cuidados de Krishna, não há mal, apenas bem.

 Karma ou Krishna

Os devotos veem o sofrimento como karma, ou o resultado automático de seus erros passados, mas também veem o sofrimento como enviado por Krishna em seu benefício. Ambos podem ser verdadeiros.

Ao falar sobre o sofrimento dos devotos, Srila Prabhupada frequentemente citava um verso do Srimad-Bhagavatam (10.14.8), falado pelo senhor Brahma. Aqui está o verso.

tat te ’nukampam su-samiksamano
bhuñjana evatma-krtam vipakam
hrd-vag-vapurbhir vidadhan namas te
jiveta yo mukti-pade sa daya-bhak

“Meu querido Senhor, aquele que sinceramente espera que concedas Tua misericórdia sem causa a ele, ao mesmo tempo em que sofre pacientemente as reações de seus crimes passados ​​e oferece reverências respeitosas com seu coração, palavras e corpo, certamente está apto para a liberação, pois isso se tornou sua reivindicação legítima.”

Um discípulo de Srila Prabhupada, Sua Santidade Hridayananda Dasa Gosvami, lança luz sobre a questão de se o devoto está sofrendo por arranjos do karma ou de Krishna. O restante deste artigo, a partir do próximo parágrafo, são suas palavras em comentário ao verso do Bhagavatam citado acima, palavras estas que fazemos nossas.

“Srila Sridhara Swami explica em seu comentário que assim como um filho legítimo tem que simplesmente permanecer vivo para ganhar uma herança de seu pai, aquele que simplesmente permanece vivo em consciência de Krishna, seguindo os princípios reguladores de bhakti-yoga, automaticamente se qualifica para receber a misericórdia da Personalidade de Deus. Em outras palavras, ele será promovido ao reino de deus.”

“A palavra su-samik samana indica que um devoto sinceramente espera a misericórdia do Senhor Supremo, mesmo enquanto sofre os efeitos dolorosos de atividades pecaminosas anteriores. O Senhor Krishna explica na Bhagavad-gita que um devoto que se rende totalmente a Ele não está mais sujeito a sofrer as reações de seu karma anterior. No entanto, porque em sua mente um devoto ainda pode manter os resquícios de sua mentalidade pecaminosa anterior, o Senhor remove os últimos vestígios do espírito de desfrute dando a Seu devoto punições que às vezes podem se assemelhar a reações pecaminosas. O propósito de toda a criação de Deus é retificar a tendência da entidade viva de desfrutar sem o Senhor, e, portanto, a punição específica dada por uma atividade pecaminosa é projetada especificamente para restringir a mentalidade que produziu a atividade. Embora um devoto tenha se rendido ao serviço devocional do Senhor, até que esteja completamente perfeito em consciência de Krishna, ele pode manter uma leve inclinação para desfrutar a falsa felicidade deste mundo. O Senhor, portanto, cria uma situação específica para erradicar esse espírito de desfrute remanescente. Essa infelicidade sofrida por um devoto sincero não é tecnicamente uma reação cármica; em vez disso, é a misericórdia especial do Senhor para induzir Seu devoto a abandonar completamente o mundo material e voltar ao lar, voltar ao Supremo.”

“Um devoto sincero deseja sinceramente voltar para a morada do Senhor. Portanto, ele aceita de bom grado o castigo misericordioso do Senhor e continua oferecendo respeitos e reverências ao Senhor com seu coração, palavras e corpo. Tal servo genuíno do Senhor, considerando todas as dificuldades como um pequeno preço a pagar para obter a associação pessoal do Senhor, certamente se torna um filho legítimo de Deus, como indicado aqui pelas palavras daya-bhak. Assim como não é possível uma pessoa se aproximar do Sol sem se tornar fogo, não é possível se aproximar do supremo puro, o Senhor Krishna, sem passar por um rígido processo de purificação, que pode parecer sofrimento, mas que, na verdade, é um tratamento curativo administrado pela mão pessoal do Senhor.”

 

Leia também: Uma Oferta Especial | Quando Coisas Ruins Acontecem a Pessoas Boas.

Adquira e receba em casa:

SB boxraja-vidyakrsna_a_suprema_personalidade_de_deus