Veda, Segredos do Oriente

2 I (crítica - pregação) Veda, Segredos do Oriente (950) (bg) (sk)1

Bhagavan Dasa

A combinação de múltiplos temas às variadas abordagens de escritores das mais diferentes formações torna Veda, Segredos do Oriente, uma experiência ímpar para a introdução no ocidente da sabedoria religiosa da Índia multimilenar.

Veda, Segredos do Oriente, é uma compilação de artigos e palestras de autoria de A.C. Bhaktivedanta Swami Prabhupada, fundador da Sociedade Internacional para a Consciência de Krishna, bem como de alguns de seus mais destacados seguidores da atualidade. A organização do livro e seleção do material é de Kripamoya Dasa, estudioso entusiasta e praticante do bhakti-yoga, o yoga do serviço a Deus.

Como tenho comigo o objetivo pessoal de ser um divulgador da sabedoria védica do bhakti-yoga, ou consciência de Krishna, já há algum tempo vão-se anos desde que li um livro sem pensar em como seria seu impacto quando lido por outros, preferencialmente o maior número de diferentes categorias de pessoas que eu possa abstrair – familiares, acadêmicos, praticantes de “yoga de academia”, adeptos de variadas religiões, ateístas etc. E foi com muito prazer que constatei em Veda, Segredos do Oriente, um livro que chega muito perto de ser um livro que abarca o conhecimento tradicional da Índia religiosa de várias perspectivas para variadas indagações e, logo, um livro para muitos tipos de leitores.

Antes de considerar a abrangência de assuntos e de abordagens para os mesmos, gostaria de apontar como o livro também consegue ser abrangente em níveis de profundidade dos assuntos da consciência de Krishna. Em sua primeira parte, constituída basicamente de textos de Srila Prabhupada, o livro faz uma apresentação dos conceitos mais básicos da teologia vaishnava, respondendo, por exemplo, às perguntas: O que é bhakti-yoga, ou consciência de Krishna? Quem é Krishna? O que são os Vedas e o que ensinam? Qual é a meta da vida? Assim, se você se perguntou nos parágrafos anteriores, o que eram tais termos e a quem dizia respeito o nome Krishna, terá na primeira parte do livro uma introdução fácil e definitiva desses. Quem já é familiarizado com o tema, terá uma oportunidade de revê-los de forma organizada, consolidando conceitos, ou, caso leia, como eu, sempre pensando para quem repassar o livro, encontrar uma fonte de grande felicidade por ter em mãos um livro que se inicia falando satisfatoriamente para leigos.

Contudo, engana-se quem, diante desses capítulos introdutórios, pense que o livro prosseguirá sempre introduzindo mais conceitos, como um dicionário ou uma enciclopédia. Como prolegômenos funcionam os primeiros capítulos, propiciando um acesso seguro e embasado das abordagens aprofundadas dos capítulos que se seguem. Isso vem sanar uma deficiência que acontece com outros livros da consciência de Krishna, que por vezes ou são meramente introdutórios ou já têm início com debates que exigem um conhecimento prévio muito grande do leitor, indisponível no próprio livro.

No que diz respeito à variedade de temáticas do livro, figuram discussões acerca de reencarnação; justiça divina; o clássico assunto da teodiceia, em que se questiona a possibilidade de Deus ser simultaneamente bom e onipotente e existir sofrimento no mundo; o conflito entre o fatalismo asiático e o conceito de livre-arbítrio; evolução, criacionismo e como as duas visões são apresentadas ao público em geral; questões pertinentes aos métodos da investigação científica e seu uso dentro e fora da religião; sexo e a teologia védica do corpo; questões pertinentes a possíveis posturas diante dos desejos básicos ligados à sobrevivência e também diante de desejos ligados a situações utópicas, como imortalidade, relacionamentos perfeitos e outros; assuntos políticos, como sustentabilidade e ética nos negócios; abordagens sociológicas e psicológicas para a liberação sexual e popularização da aceitação do uso de entorpecentes; diálogo inter-religioso e estudos comparados com budismo e cristianismo; a postura frequentemente não sectária das religiões da Índia; uma revisitação de filósofos clássicos, pensadores ocidentais e teólogos em postura crítica e com pressupostos védicos e neutros; o complexo conceito de dharma explorado ricamente, entre outros assuntos.

Essa riqueza de assuntos ser concentrada organizadamente em um mesmo livro já é uma grande dádiva a todos os interessados na visão oriental, e especificamente da esfera devocional da literatura religiosa indiana, de tantos temas e pensamentos de outros tempos e lugares. Contudo, o livro vai além devido à sua multiplicidade de escritores de variadas formações. Assim é que o tema da origem da vida, tratado na escrita do zoologista formado na Hungria comunista, assume uma postura investigativa científica, bastante diferente da abordagem no capítulo seguinte, assinado por Srila Prabhupada, um indiano educado desde o nascimento a ter fé nas escrituras reveladas. Naturalmente, também são outros os métodos aplicados por Bhakti-svarupa Damodara Swami, Ph.D. em Química Físico-orgânica.

O aguçado poder de análise da contemporaneidade próprio de Hridayananda Dasa Gosvami, doutor em Sânscrito e Estudos Hindus, e a competência de Ravindra Svarupa, doutor em Ciência das Religiões, de contrastar conceitos teológicos mediante lógica e outros recursos de filosofia também contribuem com novas abordagens para os temas propostos.

Deste modo, a combinação de múltiplos temas a múltiplas abordagens torna o livro similar a um presente embalado em seda de coloração variada colocado, em seguida, em um saco de presente transparente e também multicolorido, criando combinações imprevisíveis e agradáveis.

Enfim, é pela soma de uma introdução sólida de conceitos básicos e aprofundamento satisfatório de temas variados em variadas perspectivas que este livro Veda, Segredos do Oriente, torna-se para mim o livro que mais próximo chega do ideal de ser um livro que me sinto à vontade para presentear ou vender a qualquer pessoa sabendo que lhe será uma leitura livre do obstáculo do uso de termos sânscritos e conceitos védicos não previamente apresentados e também uma leitura abrangente para permitir uma visão ampla da sabedoria que me encanta o coração há mais de uma década sem superficialismo. Que os segredos do oriente, revelados nestas dezenas de capítulos oriundos de quase vinte diferentes mentes brilhantes, sejam de todos nós ocidentais.

.

Se gostou deste material, também gostará destes: Yoga Sutra de Patanjali, Uma Abordagem Prática, Críticas ao Bhagavad-gita Como Ele É.

Se gostou deste material, também gostará do conteúdo destas obras:

2 I (crítica - pregação) Veda, Segredos do Oriente (950) (bg) (sk)2 2 I (crítica - pregação) Veda, Segredos do Oriente (950) (bg) (sk)3 2 I (crítica - pregação) Veda, Segredos do Oriente (950) (bg) (sk)4 2 I (crítica - pregação) Veda, Segredos do Oriente (950) (bg) (sk)5

2 Respostas

  1. eliana mesquita

    Como posso adquirir o livro Veda, Segredos do Oriente?

    17 de junho de 2014 às 12:11 AM

Comente

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s