Subordinação

@03 Subordinação (Conversas com Srila Prabhupada - Virtudes) (ta) (1)

Uma conversa com A.C. Bhaktivedanta Swami Prabhupada

Ainda que neguemos ou não queiramos isso, todos nós somos subordinados a alguém.

Rapaz: O senhor poderia explicar o que é subordinação?

Prabhupada: É simples. Você é subordinado. Você não é subordinado a alguém?

Rapaz: Sim, acredito que o senhor possa dizer que sou.

Prabhupada: Sim. Você obrigatoriamente é. Todos têm que ser subordinados.

Rapaz: Sim, embora, em um sentido espiritual, eu não me sinta subordinado.

Prabhupada: Antes de tudo, entenda o que é vida espiritual. No sentido espiritual você é subordinado também, porque sua natureza é subordinar-se. O você quer dizer com espiritual e material?

Rapaz: Meu corpo está em um lugar e em um tempo em particular. Se tenho um emprego, sou subordinado ao meu patrão, mas meu eu verdadeiro, meu ser inteiro, não. Eu não acho que sou subordinado ao meu patrão. Acho que seríamos mais ou menos iguais. Em um sentido temporário, somos diferentes. Falando sobre esse incidente específico, não é necessariamente verdade que eu sentiria inveja desse homem porque ele estava acima de mim. Eu apenas sinto que, como seres, estamos mais ou menos no mesmo nível. É uma espécie de filosofia que eu tenho. Eu não sinto que eu tenha que me curvar diante de alguém, e não sinto que alguém tenha que se curvar diante de mim.

Prabhupada: Por quê? Por que não se curvar?

Rapaz: Porque não sinto que devo algo a ele ou que ele me deve algo.

Prabhupada: Essa é a doença. Somos forçados a nos curvar e pensamos: “Eu não gosto de me curvar”. Essa é a doença.

Rapaz: Ele não me forçou a me curvar. Ele não está me forçando a fazer nada. Eu apenas estou ali e ele está ali.

Prabhupada: Não. Tente entender. Trata-se de uma questão excelente. Você diz: “Eu não quero me curvar”, não é?

Rapaz: Isso é verdade. Sim, basicamente.

Prabhupada: Por quê?

Rapaz: Porque não sinto que sou inferior.

Prabhupada: Essa é a doença. Você diagnosticou sua própria doença. Essa é a doença do materialismo. Todos estão pensando: “Eu quero ser o mestre. Eu não quero me curvar”. Todos estão pensando assim, e não apenas você.

Rapaz: Uh…

Prabhupada: Permita-me terminar isto. Esta é a doença material. Antes de tudo, tente entender. Não se trata da sua doença ou da minha doença. A doença de todos é esta: “Por que me curvarei? Por que me subordinarei?”. A natureza, porém, está me forçando a me tornar subordinado. Agora, quem quer se encontrar com a morte? Por que as pessoas estão morrendo? Você pode responder?

Rapaz: Por que as pessoas estão morrendo?

Prabhupada: Sim. Ninguém quer morrer.

Rapaz: Eu pensava que era uma questão biológica.

Prabhupada: Apenas tente entender. Trata-se de uma força biológica. Você é subordinado à biologia. Por que, então, você diz que é independente?

Rapaz: Bem, eu sinto que sou.

Prabhupada: Você está sentindo errado. Este é o meu ponto. Essa é a sua doença. Você é subordinado. Você precisa se curvar. Quando a morte chega, você não pode dizer: “Eu não obedeço a você”. Portanto, você é subordinado.

Rapaz: Eu sou subordinado a Deus, sim.

Prabhupada: Não. Esqueça Deus. Estamos falando agora de bom-senso. Não fale de Krishna. Isso é muito distante. Apenas tente entender que, embora você não queira morrer, você é forçado a morrer. Por que isso? Porque você é subordinado.

Rapaz: Sim.

Prabhupada: Então, entenda a sua posição, de que você é subordinado. Você não pode declarar que é livre, não subordinado. Se você está desejando assim: “Eu não quero ser subordinado, não quero me curvar”, então essa é a sua doença.

Rapaz: O que devo fazer?

Prabhupada: Primeiramente, tente entender a sua doença. Em seguida, iremos prescrever o seu remédio.

Rapaz: Entendi que estou “sentindo” errado. Mas a quem devo me curvar exatamente?

Prabhupada: Você está se curvando diante de tudo. Você está se curvando diante da morte, você está se curvando diante da doença, você está se curvando diante da velhice. Você está se curvando diante de muitíssimas coisas. Você é forçado a se submeter a tudo isso. Ainda assim, você está pensando: “Eu não me curvo. Eu não gosto disso”. Porque você está dizendo “Eu não gosto”, você está sendo forçado. Você tem que se curvar. Por que você se esquece de sua posição? Essa é a nossa doença. Portanto, o próximo ponto é: “Já que sou forçado a me curvar, onde serei feliz mesmo me curvando?”. Então chegamos em Krishna. Você não deixará de se curvar, porque você se destina a isso. Todavia, se você se curva a Krishna e ao representante de Krishna, você se torna feliz. Teste isso. Você tem que se curvar. Se você não se curvar a Krishna e ao Seu representante, você será forçado a se curvar a maya, a energia ilusória. Essa é a sua posição. Você não pode ser livre em momento algum. Mas você se sentirá feliz curvando-se a Krishna, assim como uma criança se curva vinte e quatro horas aos seus pais e é feliz – ela é feliz. A mãe diz: “Meu querido filho, por favor, venha, sente-se aqui”. “Sim”. O filho está feliz. Essa é a natureza. Você apenas tem que descobrir onde você deve se curvar, e isso é tudo. A quem você deve se curvar é Krishna. Você não pode deixar de se curvar, mas você tem que ver a quem você tem que se curvar. Isso é tudo.

.

Se gostou deste material, também gostará destes: As Cores do Amor Prático na Narrativa do Srimad-BhagavatamA Origem da Fé e Suas Implicações dentro da Religião BhagavataRaganuga-bhakti, a Sabedoria Mais Confidencial do Amor a DeusO Néctar da Devoção e o Conceito de Rasa.

.

Se gostou deste material, também gostará do conteúdo destas obras:

@03 Subordinação (Conversas com Srila Prabhupada - Virtudes) (ta) (1) @03 Subordinação (Conversas com Srila Prabhupada - Virtudes) (ta) (2) @03 Subordinação (Conversas com Srila Prabhupada - Virtudes) (ta) (3) @03 Subordinação (Conversas com Srila Prabhupada - Virtudes) (ta) (4)

Anúncios