Lições de um Papagaio

10 I (artigo - Mantra) Lições de um Papagaio (1307) (ta)Yugavatara Dasa

A luta de um praticante para superar o cantar mecânico e tornar-se atento.

Muitos de nós cantamos Hare Krishna como papagaios. Sim, como papagaios!

Cantar como um papagaio não transforma o coração, nem nos ajudará quando mais precisarmos do cantar, isto é, no momento crucial da morte, quando mais queremos nos lembrar de Krishna.

Cantar os santos nomes de Krishna atentamente é, portanto, uma das práticas fundamentais de todo aquele que tenta alcançar a consciência de Krishna. Cantar Hare Krishna atenta, séria e sinceramente permitirá que nos lembremos de Krishna no momento da morte, e isso nos libertará do ciclo vicioso de nascimentos e mortes.

KONICA MINOLTA DIGITAL CAMERA

Jogo de contas de madeira de Tulasi, utilizado para contar o número de mantras entoados.

Desafortunadamente, para a maioria dos devotos praticantes, o cantar atento é uma luta. Distraídos por todos os tipos de pensamentos e objetos mundanos enquanto cantamos, constantemente perdemos nosso foco no som divino. Nosso cantar, então, torna-se um zumbido monótono. Embora nossos lábios movam-se, nossa mente permanece totalmente absorta em pensamentos não relacionados aos sons que nossos lábios emanam.

Srila Prabhupada comparava tal cantar à fala de papagaios. Ele dizia: “O papagaio também imita o cantar. Porém, quando o gato agarra seu pescoço, ele não fala ‘Hare Krishna’. Ele diz ‘Kan! Kan!’… Devemos nos acostumar a cantar Hare Krishna toda vez que o momento da morte se apresenta. Então, isso é sucesso”. (Leitura de O Néctar da Devoção, Vrindavana, 14 de novembro de 1972)

Vamos entender esses pontos profundamente com a ajuda de três anedotas sobre papagaios.

Praticantes Superficiais do Canto

Certo rei, ao encontrar alguns papagaios, apontou treinadores para ensiná-los a cantar os santos nomes de Deus. Ao vê-los cantar tão obedientemente, ele sentia-se orgulhoso e às vezes desafiava seu ministro da corte: “Você fica filosofando que só os humanos podem cantar os nomes do Senhor. Veja meus papagaios. Eles podem cantar melhor do que as pessoas”. Porém, o ministro era sábio e não concordava com o rei. Um dia, decidiu provar seu ponto.

Ele espalhou feno em volta da jaula dos papagaios e ateou fogo. Assim que o fogo começou a queimar, os papagaios começaram a granir de medo. Ao ver seus papagaios tão assustados, o rei gritou: “Por que você está tentando matar meus papagaios?”. Seu ministro respondeu friamente: “Ó rei, Vossa Majestade não ouviu o que esses papagaios cantavam diante da morte? Nenhum deles cantou os santos nomes de Deus que você tão avidamente lhes ensinou. Isso prova que o cantar mecânico, tal como o de um papagaio, não nos oferece realmente o verdadeiro benefício dos santos nomes. É somente quando os santos nomes são cantados com amor e devoção que podemos atrair a misericórdia do Senhor. O real teste de nossa devoção e de nossa rendição é nosso ser ter a capacidade de chamar a Deus na hora da morte”. O rei admitiu seu erro e agradeceu o ministro pela instrução.

Praticantes Insensíveis do Cantar

Um vendedor de papagaios ensinou seu papagaio a cantar o santo nome do Senhor. Se alguém puxasse sua perna direita, ele cantava “Hare Krishna”; se puxasse a esquerda, ele cantava “Hare Rama”. Esse papagaio especial atraía uma grande multidão e havia ficado famoso. O vendedor de papagaios, então, fez o arranjo de vendê-lo por um bom preço a um homem rico que havia ficado encantado com sua habilidade. Ele esperava entreter seus convidados com isso.

Contudo, logo o homem pensou: “Em vez de puxar uma perna de cada vez, se eu puxar as duas juntas, o papagaio cantará todo o maha-mantra. Isso não seria legal?”. Então, em uma noite, o homem levou o papagaio até seus distintos convidados e puxou suas duas pernas. O papagaio gritou: “Seu tolo, você não entende que, se puxar as duas pernas de uma vez, eu caio?”.

O temperamento do papagaio não apresentava qualquer traço de evolução espiritual. É importante que entendamos o processo de cantar e o significado da oração. Cantar os santos nomes em vista de impressionar ou entreter outros não nos oferecerá benefício espiritual. Srila Prabhupada nos ensinou sobre como orar enquanto cantamos Hare Krishna: “Ó meu Senhor, ó energia do Senhor, por favor, ocupai-me a Vosso serviço”.

Praticantes do Cantar com Motivações

Determinado sacerdote mantinha dois papagaios machos em sua casa. Ambos imitavam o sacerdote ao recitar todos os mantras ou orações que ele cantava enquanto praticava sua adoração diária. Do outro lado da rua, vivia outro sacerdote, com duas papagaias. Ambas falavam tolices. Os dois pares de papagaios podiam se ver a partir de suas respectivas janelas.

Sendo um homem de bom coração, o segundo sacerdote pensou: “Aqueles papagaios machos são piedosos e sempre cantam os nomes de Deus. Se minhas papagaias se associarem com eles, também aprenderão a cantar os santos nomes”. Assim, ele levou suas papagaias até lá e as colocou dentro da gaiola com os dois papagaios machos. Assim que as papagaias chegaram, um papagaio macho disse ao outro: “Pare de cantar agora. Nossas orações foram respondidas!”.

10 I (artigo - Mantra) Lições de um Papagaio (1309) (ta)

A meta do cantar é ser aceito como um servo do servo de Krishna, e não alguma bênção material.

Devemos nos lembrar de que nada material pode nos dar felicidade duradoura ou paz mental. A alma espiritual pura dentro de nós, que é um fragmento da energia espiritual do Senhor, anseia por bem-aventurança espiritual em associação com o Senhor. Manter apegos materiais enquanto cantamos os santos nomes de Krishna é considerado uma ofensa ao santo nome. Não se deve ter desejos, exceto a esperança de servir o Senhor, assim como o Senhor Chaitanya Mahaprabhu ensina:

na dhanam na janam na sundarim

kavitam va jagad-isha kamaye

mama janmani janmanisvare

bhavatad bhaktir ahaituki tvayi

“Ó Senhor todo-poderoso, não tenho desejo de acumular riquezas, nem de desfrutar de belas mulheres. Tampouco desejo seguidores. Tudo o que almejo é a misericórdia sem causa de Seu serviço devocional, nascimento após nascimento”. (Sikshastaka 4)

Diferente dos papagaios, os devotos fazem tudo com muita fé e muita atenção. Eles usam sua inteligência para entender e assimilar o processo devocional e praticar o serviço devocional de todo o coração. Srila Prabhupada costumava alertar os devotos para que evitassem ofensas enquanto cantavam japa. Ele escreveu: “O cantar dos santos nomes do Senhor sem ofensa é transcendental, e, portanto, tal cantar pode de uma só vez purificar-nos dos efeitos de todos os tipos de pecados do passado. Semelhante cantar sem ofensas indica que a pessoa compreendeu totalmente a natureza transcendental do santo nome e está, assim, rendida ao Senhor”. (Srimad-Bhagavatam 1.18.19, significado)

Quando Agir como um Papagaio

É dito que os devotos escolhem agir como papagaios quando transmitem a mensagem de Krishna e do guru. Quando tentam ensinar outros sobre Krishna, não fabricam suas próprias teorias, senão que repetem a mensagem como ela é, sem adulterar ou modificar. Srila Krishnadasa Kaviraja Gosvami, o autor do Sri Chaitanya-charitamrita, dizia que seu trabalho não era sua própria escrita, mas era ditado por Madana-mohana, o Senhor Krishna. “Minha escrita”, ele dizia, “é como a fala repetitiva de um papagaio”.

Porém, em todas as outras formas de cantar, devemos ter cuidado para não nos comportarmos como papagaios ininteligentes. O rei Kulashekhara orava: “Como será possível que eu me lembre de Ti na hora da morte, quando minha garganta estiver cheia de muco, bílis e ar?”. Enquanto somos saudáveis, temos que desenvolver amor pelo santo nome. Se não cantamos com afeição, o amor por Krishna e pelo Seu santo nome não se desenvolverá em nossos corações.

Enquanto cantamos, temos que tentar mais ainda superar nossas tendências de papagaios. Deixemos nossa mente buscar amor ao santo nome de Krishna assim como um cisne busca prazer ao colher flores de lótus. Maharaja Kulashekhara ora: “Meu querido Senhor, agora estou saudável, e é melhor que eu morra imediatamente para que, deste modo, o cisne da minha mente possa se refugiar no caule de Seus pés de lótus”.

Fazer um esforço sincero significa deixar para trás nossas preocupações e sonhos e nos submetermos à audição do mantra. Confiarmos em Krishna e nos rendermos a Ele com os olhos bem abertos é nossa única esperança. Krishna reciprocará tamanha rendição voluntária. Ao perceber a presença de Krishna, de uma só vez, nossos corações serão tomados pelo amor e pela devoção, que serão saboreados pelo cisne de nossa mente.

Tradução de Chitralekha Devi Dasi. Todo o conteúdo das publicações de Volta ao Supremo é de inteira responsabilidade de seus respectivos autores.

.

Se gostou deste material, também gostará destes: Deu Bossa no Mantra, Meditando – Enquanto Toma Conta das Crianças?, Mil Vezes Melhor: A Superioridade de Cantar Alto e em Público os Nomes de Deus, Deus na Forma de Música, O Significado do Mantra Hare Krishna.

.

Se gostou deste material, também gostará do conteúdo destas obras:

10 I (artigo - Mantra) Lições de um Papagaio (1311) (ta) 10 I (artigo - Mantra) Lições de um Papagaio (1312) (ta) 10 I (artigo - Mantra) Lições de um Papagaio (1313) (ta) 10 I (artigo - Mantra) Lições de um Papagaio (1314) (ta) 10 I (artigo - Mantra) Lições de um Papagaio (1307) (ta)

Anúncios

Uma resposta

  1. Pingback: Artigos e Palestras | Volta ao Supremo | Página oficial

Comente

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s