Lições Espirituais de um Voo

-@ 18 I (artigo - Evolução Espiritual) Lições Espirituais de um Voo (1502) (bg) (pm) (ta)Suvarna Radhika Devi Dasi

Será que somente livros e pessoas podem nos trazer ensinamentos? Não. Um pouco de sensibilidade e observação pode bastar.

Recostei em meu assento e fechei meus olhos. Meu voo circulava por cima de Delhi, esperando por autorização para aterrissar. Meus pensamentos passeavam por todo o processo do voo, desde a compra da passagem até a chegada ao meu destino. Alguma faceta da consciência de Krishna parecia se apresentar a cada passo.

Reservando a Passagem Aérea

Somos cuidadosos ao fazer a reserva da passagem, checando todos os voos disponíveis e, assim, escolhendo o mais conveniente. Fazemos reservas dias antes para conseguirmos os melhores preços. Depois disso, conferimos repetidamente todos os detalhes: o número do voo, a data e a hora de partida, o destino etc.

-@ 18 I (artigo - Evolução Espiritual) Lições Espirituais de um Voo (1501) (bg) (pm) (ta)

Em nossa jornada espiritual, devemos ser tão atentos a todos os detalhes quanto em uma viagem de avião.

Será que deveríamos exercitar o mesmo tipo de cuidado com nossa jornada espiritual? Há muitos professores e muitos caminhos que podemos seguir. Precisamos perguntar: todas as rotas nos levam ao mesmo destino? Bem, todos os voos nos levam à mesma cidade? Não, cada voo tem um destino diferente. Similarmente, diferentes caminhos espirituais nos levarão a diferentes lugares. Devemos selecionar um caminho espiritual porque ele é conveniente e fácil de praticar? Pegamos um voo para qualquer destino apenas porque é mais barato do que o local para onde realmente queremos ir? Antes de selecionar um caminho espiritual, precisamos estudar cuidadosamente suas escrituras e observar a vida de seus praticantes bem-sucedidos. Porém, mais do que isso, devemos realmente saber o verdadeiro ponto de chegada, pois, sem o devido destino, todo o processo da viagem torna-se inútil. A meta última da forma humana de vida é amar Krishna, e o processo é bhakti, prestar serviço devocional a Ele.

Comparemos os diferentes estágios de uma viagem de avião com as diferentes situações da vida.

O Processo de Check-in

Neste ponto, todos estão alertas, especialmente os funcionários do aeroporto. Passam-se a bagagem e as pessoas pelo raio x, checa-se a identidade… Todo indivíduo precisa aguentar passar por isso a fim de evitar um sequestro terrorista, que poderia causar danos aos passageiros e provavelmente desviar o voo, levando-o a algum destino desconhecido. Como um terrorista, a energia ilusória aprisionadora, maya, sempre tentará desviar-nos da nossa meta de tornarmo-nos conscientes de Krishna. Ela apresentará um constante fluxo de imagens mentais de objetos materiais feitos para nos atrair através das formas, dos sons, dos gostos, dos cheiros e das experiências táteis, cada qual com a promessa de nos dar prazer. Porém, esses desfrutes temporários simplesmente nos distraem de Krishna. Assim, da mesma forma que os funcionários do aeroporto, devemos também permanecer alertas enquanto estamos fazendo o check-in de nosso voo espiritual, constantemente escaneando as imagens que preenchem nossa mente e rejeitando todas aquelas que nos são prejudiciais. É de boa ajuda, na prática desse tipo de vigilância, evitar conteúdos mundanos na televisão, na internet, em músicas etc. e comida proibida, pois essas coisas aumentam qualidades básicas nossas, como luxúria, ira, cobiça, orgulho, inveja e a tendência a estarmos iludidos. No lugar disso, devemos receber imagens que nos lembrem dos passatempos de Krishna, da mensagem, das glórias e da misericórdia divinas. Para fortalecer nossa força de vontade, é importante cantar Seus santos nomes atentamente, regularmente ler e ouvir a filosofia da consciência de Krishna e seguir as disciplinas espirituais prescritas. Essas práticas constroem uma fortaleza segura ao redor da mente para que o terrorista da ilusão não consiga adentrar.

A Sala de Espera

Depois do check-in, esperamos, às vezes, por horas. Voos costumam estar atrasados (pelo menos, isso parece verdade para os que eu pego). Os funcionários da linha aérea trabalham duro para assegurar que os voos ocorram sem problemas, mas nevoeiros, tempo ruim, congestionamento aéreo e a demora dos voos que estão para chegar causam atrasos. Isso me faz me lembrar da vida. Tentamos duramente fazer as coisas acontecerem sem problemas, porém, os eventos raramente são do jeito que desejamos – sempre há fatores que estão além do nosso controle. Deus fez o mundo assim para nos lembrar: “Você não é o controlador; Eu sou”. Nossa tendência a controlar a natureza material, por fim, nos faz infelizes. Precisamos aprender a nos render ao Controlador Supremo, Krishna, e, com gratidão, aceitar as situações em que Ele nos coloca. Em cada situação, devemos simplesmente tentar dar o nosso melhor para continuarmos com nossos serviços e progredirmos para mais perto dEle.

No Avião

Nós apertamos os cintos, e o avião decola. A maioria dos passageiros, então, cai no sono. Considere isto: estamos enclausurados num pequeno espaço, a cerca de 35.000 pés acima do nível do mar, nos movendo a centenas de quilômetros por hora sem qualquer alavanca para puxar se algo der errado. E milhões de coisas podem dar errado, certo? Um problema técnico em qualquer um dos aparelhos que mantêm essa pesada máquina no ar poderia resultar em uma morte certa. Ainda assim, estamos dormindo pacificamente! Antes de tudo, será que deveríamos nos ter enfiado em tal situação perigosa? Mas já que estamos nela, por que isso não nos preocupa? Porque temos fé no piloto, nos funcionários e na equipe de manutenção. Temos total fé na eficiência da empresa de linha aérea. Nós firmemente acreditamos que esse voo não explodirá no meio do ar e que o piloto nos levará ao nosso destino. Assim, dormimos seguros em nossa fé. Mas nós falamos com essas pessoas antes de embarcarmos no voo? Entrevistamos o piloto, ou checamos suas credenciais? Interrogamos qualquer um dos funcionários da equipe de manutenção de voo? Como podemos confiar neles? Somos tolos? Nossa fé é cega? Não. Temos fé em todo o processo de voo. Sabemos que milhares de aviões voam pelo mundo diariamente e que o número de acidentes é minúsculo. Toda a indústria de linha aérea segue um conjunto de protocolos estritos, e cada pequeno voo que decola e aterrissa prova que o processo funciona.

-@ 18 I (artigo - Evolução Espiritual) Lições Espirituais de um Voo (1502) (bg) (pm) (ta)

Quando sentamos com tranquilidade em um avião, revelamos que temos fé na eficiência da empresa.

Da mesma forma, precisamos colocar nossa fé no processo da consciência de Krishna. Não vimos ou falamos com Krishna, nem encontramos pessoalmente a pessoa que escreveu as escrituras. Porém, devemos acreditar neles porque eles nos asseguram que o processo funciona. A consciência de Krishna transformou a vida de incontáveis pessoas, ajudando muitas a superarem seus condicionamentos, desistirem de maus hábitos e levarem vidas amorosas e puras. E isso não é um caso isolado, uma evolução recente – trata-se de um processo atemporal, afetando pessoas de todo mundo. Qualquer um que desista de hábitos pecaminosos e comece a cantar Hare Krishna prova, pelo seu exemplo, que o processo funciona. A fé em Krishna e nas escrituras não é cega. Ela é tão cega quanto a fé que colocamos nos funcionários da linha aérea. Tudo o que precisamos fazer é focarmo-nos em aprofundar nossa fé e praticar o processo. Nosso voo espiritual está prestes a aterrissar.

O Passar do Tempo

Há mais um aspecto da espiritualidade que se assemelha a um voo. Cá estamos num avião, olhando para a janela e vendo lindas nuvens brancas flutuarem. As atendentes de bordo são encantadoras e nos dão o que queremos com um sorriso. Para passar o tempo, lemos ou cochilamos ou conversamos com o passageiro ao lado. Então, a atendente anuncia: “Preparem-se para a aterrissagem”. E nos espantamos: “Veja! Duas horas já se passaram? Eu nem notei!”.

O tempo está passando, e a rápida aproximação da morte é uma força inevitável e impossível de ser barrada. Não podemos ser complacentes. Não podemos nos distrair com a falsa sensação de felicidade que, às vezes, sentimos. Devemos assumir a prática espiritual séria e urgentemente, pois assim podemos nos lembrar de Krishna na hora da morte. Caso contrário, nos veremos deitados sobre nosso leito de morte, olhando para trás e vendo mais uma vida infrutífera, onde conquistamos apenas sucessos e fracassos materiais temporários. Podemos pensar: “Sessenta anos se passaram e eu nem notei!”.

Meu voo finalmente aterrissou. Estamos descendo para a pista. As pessoas se alongam e desafivelam seus cintos. Então, a atendente anuncia: “Não desafivelem seus cintos até que o avião pare completamente”. Meus pensamentos me levaram até aquele voo fatal Dubai-Bangalore que colidiu após o avião ter aterrissado. Bem na hora em que todos pensavam que haviam chegado sãos e salvos e estavam planejando sua jornada seguinte: “Cabum!”, o fim.

A vida espiritual também é assim. Não podemos permitir ser complacentes nunca. Temos que praticar até nosso último sopro de vida. Se pensamos: “Isso é suficiente”, seremos tolos. Continue lutando, nunca esquecendo a meta da vida.

Desci do avião e peguei minha bagagem. Enquanto saía do aeroporto, ofereci uma oração silenciosa a Krishna: “Obrigada por estas realizações, Senhor. Ajude-me a aplicá-las em minha vida para que, deste modo, minha aeronave espiritual possa algum dia aterrissar a Seus pés de lótus”.

Suvarna Radhika Devi Dasi é formada em Engenharia da Computação e trabalha em uma empresa de software. Pratica a consciência de Krishna desde a infância e está envolvida em vários serviços dentro da ISKCON Pune. Escreve livros sobre ciência moral para escolas baseadas em princípios espirituais.

Tradução de Chitralekha Devi Dasi. Todo o conteúdo das publicações de Volta ao Supremo é de inteira responsabilidade de seus respectivos autores, tanto o conteúdo textual como de imagens.

.

Se gostou deste material, também gostará destes: Lições de um Papagaio, Os Vinte e Quatro Gurus do Avadhuta: A História de um Iluminado, No Dentista.

.

Se gostou deste material, também gostará do conteúdo destas obras:

12 I (história - Krishna) Jagannatha - O Êxtase do Reencontro (4004) (ta) 12 I (história - Krishna) Jagannatha - O Êxtase do Reencontro (4005) (ta) 12 I (história - Krishna) Jagannatha - O Êxtase do Reencontro (4006) (ta) 12 I (história - Krishna) Jagannatha - O Êxtase do Reencontro (4007) (ta) 24 R (artigo - Adoração à Deidade) O Resgate de Govindaji (1800)5

Uma resposta

  1. Pingback: Artigos e Palestras | Volta ao Supremo | Página oficial

Comente

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s