Músicas de Saudade

-26 (poemas - krishnacore) I 108 Songs of Separation (1200) (bg) (ta)Vraja Kishor Dasa

Tradução e letra original de todas as canções do LP Songs of Separation, da banda 108.

1 – Opposition (Oposição)

Your hypocrisy
Your empty religion
Your proud hollow philosophy
Consumerism, thrice daily cannibalism
Your tv
Your constant sexuality
I oppose, vehemently
I vow

Sua hipocrisia
Sua religião vazia
Sua filosofia vaidosa e sem valor
Consumismo, canibalismo três vezes ao dia
Sua tevê
Sua constante sexualidade
A tudo isso me oponho, com veemência
Faço este voto

2 – Death Bed (Leito de Morte)

I remember when you cried
With your eyes on fire.
With the gale in your lungs,
Screamed your throat red.
But now it’s getting colder…
What happened to you?

Lembro-me de quando você gritava
Com seus olhos brilhando.
Com os pulmões cheios de ar,
Você gritava até sua garganta vermelhar.
Mas agora está esfriando…
O que aconteceu com você?

You’re on your deathbed

Você está no seu leito de morte

I remember when you laughed
With the sunlight on your lips.
Sun rising high
On your early morning smile,
But you’re not waking up this time…
Breathless cries over lifeless eyes

Lembro-me de quando você ria
Com a luz do Sol sobre seus lábios
O Sol nascendo radiante
Em seu sorriso de manhã cedo,
Mas você não acordará desta vez…
Gritos sem ar junto de olhos sem vida

You’re on your deathbed

Você está no seu leito de morte

Your body is here, but you’re not

Seu corpo está aqui, mas você não está

That thing that screamed with me
And dreamed with me
That thing that laughed with me
And cried with me
That same thing lies before me
On this deathbed
But where are you?

Essa coisa que gritou comigo
E sonhou comigo
Essa coisa que riu comigo
E chorou comigo
Essa mesma coisa está deitada agora diante de mim
Neste leito de morte
Mas onde está você?

You’re not on your deathbed

Você não está no seu leito de morte

3. Noonenomore (Ninguém Eu Não Sou Mais)

Invested your identity
In a world that raped you of your entity.
Projected personality
On a world-less individuality.
I look in my eyes and I see: no one
I look deep into your eyes: no one

Investiu sua realidade
Em um mundo que o privou de sua essência em um estupro.
Personalidade projetada
Em uma individualidade sem mundo.
Eu olho em meus olhos e vejo: ninguém
Olho profundamente em seus olhos: ninguém

My colour and my fire
Sapped by the external objects I desire.
I drown in my melodrama
My soul leaks out the cracks

Minha cor e meu fogo
Apagados pelos objetos externos que desejo.
Afogo-me em meu melodrama
Minha alma vaza por entre as frestas

I looked in my eyes and I saw: no one
I stared a mile into my smile: no one
No one no more

Olhei em meus olhos e vi: ninguém
Olhei demoradamente para o meu sorriso: ninguém
Ninguém eu não sou mais

I know I’m someone
And I know that there is something more.
I know your world is nothing
Nothing in it for me anymore.
I turn my back on your corpse hearted “reality”
I walk right out that door
I disaccept your nothingness

Sei que sou alguém
E sei que existe algo mais.
Eu sei que o seu mundo é nada
Não há nada nele que eu ainda queira.
Dou as costas para a “realidade” cadavérica do seu coração
Estou indo embora
Desaceito sua nulidade

I am your no one – no more

Não sou mais o seu ninguém – não mais

4. Son Of Nanda (O Filho de Nanda)

Both in the day and in the night
I remain sleepless
Suffering the pain of the loss and gain.
For a fraction of a smile
I’ll suffer the trial
Of a million mindless misers
(they call themselves my boss)

Tanto de dia quanto de noite
Permaneço sem dormir
Sofrendo as dores do ganhar e perder.
Por uma fração de sorriso
Pagarei o preço
De um milhão de avarentos descerebrados
(que se dizem meus patrões)

What’s the price of the “lifestyle”?
9 to 5 in jail is the cost

Qual é o preço do “estilo de vida”?
Ficar na cela das 9 às 17 é o preço

My game of life totters on the brink
Like water-drop perched on an eyelash blink

Meu jogo da vida cambaleia às margens de um precipício
Como a gota d’água que se pendura e cai em um piscar de olhos

It’s all gonna end:
All my styles and profiles
For safety and security.
What are they gonna do for me now?

Tudo isto vai acabar:
Todos os meus estilos e perfis
Em busca de confiança e segurança.
O que farão por mim agora?

bhajahu re mana
sri nanda nandana
abhaya charanaravinda re

Sânscrito: Ó minha mente, adora
O venturoso filho de Nanda
Cujos pés de lótus conferem destemor

I’ve had too much of chasing dreams
That were all built on emptiness
And I’ve felt the cold brunt
Of your bottomlessness.
So I say to everyone I meet
“worship the son of nanda sweet and become fearless”

Já tive o bastante de sonhos fugidios
Que foram construídos sobre o vazio
E eu senti o golpe forte e frio
De sua falta de profundidade.
Por isso, digo a todos com que me encontro:
“Adore o filho de Nanda, meu amigo, e se torne destemido”.

5. Woman (Mulher)

Woman, did you really fall for this again?
Did you believe that he was a man?

Mulher, você realmente caiu nessa de novo?
Você acreditou que ele era homem?

Did you think there was something real
In the things we’ve said
Just to be a lord over you in bed?

Você pensou que havia algo de verdade
Nas coisas que dizemos
Apenas para sermos o seu senhor na cama?

He’ll tell you everything
You’ll ever want to hear
Cause he wants to be your most dear
He wants to be the reason for you tear
And the music that’s playing in your ear

Ele dirá para você tudo
O que você um dia quis ouvir
Porque ele quer ser o seu mais querido
Ele quer ser a causa das suas lágrimas
E a música que toca no seu ouvido

He wants to be your reservoir of pleasure
And wants to be your heart’s only treasure
Your everything, your only-thing
Your god, he wants to be your god

Ele quer ser o seu reservatório de prazer
E quer ser o único tesouro de seu coração
Seu tudo, tudo o que você tem
Seu deus, ele quer ser o seu deus

How far you fall for it – how far you fall?

Até onde você irá por isso – até onde?

He’s the only “he”
What you see in me, that’s a falsity
Govindam adi-purusam tam aham bhajami

Ele é o único “ele”
O que você vê em mim é falsidade
Sânscrito: Govinda, o masculino original, é quem eu adoro

This ain’t no song of flattery,
I’m pointing out our stupidity:
Dumb femminity, dumb dumb masculinity
Think about it

Esta não é uma música de bajulação,
Estou apontando nossa estupidez:
Maldita feminilidade, duas vezes maldita masculinidade
Pense nisso

Did you dream you were more than his trophy?
Sex turn you to dirt, a non-entity
Sex turns you (us) to stone and that’s reality

Você sonhou que era mais do que o troféu dele?
O sexo torna você lixo, um não-ser
O sexo nos embrutece e essa é a realidade

6. Shun The Mask (Deixe a Máscara)

Tear tears through my eye
A screaming struggle
To shin the shallow me
The calculated “I”.
Penetrate the pretense
Of this plastic life

Lágrimas escorrem por meus olhos
Uma batalha penetrante
Para livrar-me do “eu” sem profundidade
O “eu” calculado.
Penetremos o fingimento
Desta vida plástica

Hard? Yes it’s hard
(what did you expect?)
Easy life – easy lie

Difícil? Sim, é difícil
(o que você esperava?)
Vida fácil – mentira fácil

Crackerjack smile is cracked
I spy the lie, decry the lie
Jack tragic trace:
Tear etching scars your caked
On clown face

Sorriso formidável de formol
Eu espio a mentira, rebaixo a mentira
Traçado trágico a todo momento:
Cicatrizes de lágrimas gravadas em sua maquiagem
De cara de palhaço

I shun the mask
I’ll never put it back

Deixarei a máscara
Jamais a colocarei de volta

7 – Thorn (Espinho)

Chew the thorn
Drink the blood
Call it pleasure
But you’ll never quench that thirst
Sex is suffering
Bleed the envy
Bleed the jealousy
Bleed the heartache
Call it pleasure
Chew the thorn

Mastigue o espinho
Beba o sangue
Chame isso de prazer
Mas vocês jamais saciará aquela sede
Sexo é sofrimento
Sangre a inveja
Sangre o ciúme
Sangre a angústia
Chame isso de prazer
Mastigue o espinho

I won’t

Eu não o farei

8 – Solitary (Solitária)

Condemned cell incarcerates me
No walls, no bars on this cage
It’s just “me”.
The penitentiary is my “identity”
In this solitary
I learn what it’s like to be so alone

A cela dos sentenciados me encarcera
Sem muros, sem grades nesta cadeia
Apenas “eu”.
A penitenciária é minha “identidade”
Nesta solitária
Eu aprendo o que é estar deveras sozinho

Crouched in a lonesome corner I shiver
Head faced to the wall
My eyes glued to the mirror.
Masculinity beats the living hell out of me
Vanity is only my reality
My cold companion

Agachado em um canto só, tremo de frio
Com o rosto voltado para a parede
Meus olhos fixos no espelho.
A masculinidade me espanca até que a vida me deixa
A vaidade é minha única realidade
Minha fria companheira

Each moment without You I die
Each moment without You I die
Each moment without You I die
O Krishna

A cada momento sem Ti, eu morro
A cada momento sem Ti, eu morro
A cada momento sem Ti, eu morro
Ó Krishna

9 – I am not (Não Sou)

 

You try to shoot me down
Your mouth is like a loaded gun
A million cries of a billion lies
That’s your ammunition:
Misconception

Você tenta me abater com seus tiros
Sua boca é como uma arma carregada
Um milhão de gritos com um bilhão de mentiras
Esta é a sua munição:
Concepções errôneas

Dissemination of false information
Stereotyped
Perceptions

Propagação de informações falsas
Estereotipadas
Percepções

But I am not as you portray me
The pictures you paint of my face
The images don’t convey me

Mas eu não sou como você me retrata
As retratações que faz de minha face
As imagens não me transmitem

Obscuration

Obscurecimento

The confusion you usher prolongs
This dark age’s ignorant duration

A desorientação que você promove prolonga
A duração ignorante desta era trevosa

10 – Weapon (Arma)

This is the weapon of real revolution
This is the fire of the final rebellion
This is the weapon of real revolutionary
This is the fire

Esta é a arma da verdadeira revolução
Este é o fogo da rebelião final
Esta é a arma do verdadeiro revolucionário
Este é o fogo

Politics: that ain’t gonna solve this
Sociologist, your plan is useless

Política: não solucionará isto
Sociólogo, seu plano é inútil

This is the fire of the final rebellion
This is the weapon

Este é o fogo da rebelião final
Esta é a arma

Without the heart being changed
You won’t do nothing but re-arrange
The deranged situation
Of human exploitation
And that is why I imply:

Sem que o coração mude
Você não fará nada além de reajustar
A insana situação
Da exploração humana
E é por isso que eu concluo:

This is the weapon of the real revolution
Unlock the coils
That clamped around your spiritual frame
By crying out the holyname

Esta é a arma da verdadeira revolução
Solte os anéis
Que restringem sua constituição espiritual
Gritando o santo nome

11 – Govinda-Virahena

Yuga-yitam nimo-shena
Chakshusha pravrisha-yitam
Shunya-yitam jagat sarvam
Govinda-virahena me

Sânscrito: (traduzido no restante da música)

Moments drag on for ages
Eyes shower storms of tears
The whole world is an empty void
Without You, Govinda

Instantes se alongam por eras
Olhos derramam tempestades de lágrimas
O mundo inteiro é vazio
Sem Ti, Govinda

12. Hostage: I (Refém: Eu)

Return the hostage
Return the hostage: I 

Devolva o refém
Devolva o refém: eu

The hollowness within me burns
Without me “I’m” a plastic hide
Inside I hide a brutal void
Release me, release the hostage: I

O vazio dentro de mim queima
Sem mim, “sou” um esconderijo de plástico
Dentro, escondo um vazio brutal
Liberte-me, liberte o refém: eu

This situation is self degradation
My will becomes nill
Just a slave to the thrill
Of the pain instilling chilling killing
Of my self-willing devotion

Esta situação é autodegradação
Minha vontade se torna nula
Apenas um escravo da sensação
Da dor instilando a morte fria
De minha devoção autopropensa

Hostage: I, held in the web of my own lie
The hollowness inside, it burns a man alive
“I am Yours, and You are Mine”
This is the true self I need I bleed to find

Refém: eu, preso na rede de minha própria mentira
O vazio interior queima vivo um homem
“Eu sou Teu, e Tu és meu”
Esse é o verdadeiro eu que quero deveras encontrar

Give me back to me
And I’ll give me back to You

Devolve-me a mim
E eu me darei a Ti

13. Request Denied (Pedido Negado)

“Return to madness”
I ponder on your dark embrace
“Return to lunacy”
Mesmerized, I drift towards the brink
“Return to madness”
About to extinguish my heart
“Return to a world for me”

“Retorne à loucura”
Considero em seu abraço trevoso
“Retorne à insanidade”
Hipnotizado, volto-me para a beira do precipício
“Retorne à loucura”
Prestes a extinguir meu coração
“Retorne a um mundo para mim”

I must not accept your relentless request
I cannot accept your relentless request
I will not, I will not, I will not, I will not

Não aceitarei seu pedido insistente
Não posso aceitar seu pedido insistente
Não aceitarei, não aceitarei, não aceitarei, não aceitarei

Your request is denied

Seu pedido está negado

14. Pale (Pálido)

Down
Pulled down
Pulled down by the current
Into the ocean of misery

Para baixo
Puxado para baixo
Puxado para baixo pela correnteza
E atirado no oceano de misérias

Dragged out by the mainstream
Washed out by the waves
Of convenience and compliancy
Time has dyed your substance pale

Retido pela corrente em voga
Desbotado pelas ondas
De conveniência e complacência
O tempo empalideceu tua substância

Time, won’t dye my substance pale
One path for me through destiny
And I will tread it till the blood red end
Because I stand in the shelter
Of the strength of my Lord
I stand in the shelter
Of the strength of my Lord

Tempo, você não empalidecerá minha substância
Há um caminho para mim ao longo do destino
E o trilharei até o fim de meu sangue vermelho
Porque fico de pé no refúgio
Da força de meu Senhor
Fico de pé no refúgio
Da força de meu Senhor

I’m looking at you, with the yawning jaws of normalcy
Stretched wide beneath your stride.
What’s your plan to save your ass
From the 9 to 5 scam?

Estou olhando para você, com a boca bocejante da normalidade
Bem aberta debaixo de sua passada.
Que planos você tem para salvar o seu traseiro
Da fraude das 9 às 17?

Without a lifelong movement,
Without a spiritual society,
There ain’t no sanctuary from popular insanity
Or will you just add the death toll?

Sem um movimento vitalício
Sem uma sociedade espiritual
Não há santuário para se livrar da insanidade popular
Ou você apenas se somará à taxa de mortalidade?

.

Se gostou deste material, também gostará destes: Mantra, Além do Planeta Terra, A Perfeição do Desejo, Krishnacore, Quando a Retidão Alcança o Supremo, De Volta ao Caminho.

.

Se gostou deste material, também gostará do conteúdo destas obras:

-26 (poemas - krishnacore) I 108 Songs of Separation (1200) (bg) (ta)1 -26 (poemas - krishnacore) I 108 Songs of Separation (1200) (bg) (ta)2-26 (poemas - krishnacore) I 108 Songs of Separation (1200) (bg) (ta)3-26 (poemas - krishnacore) I 108 Songs of Separation (1200) (bg) (ta)4

 

Anúncios

Comente

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s